Coronavírus na América do Sul: a situação em cada país

coronavirus na america do sul medidas e reembolsos

O Covid-19 começou a gerar uma série de restrição nos países da América do Sul, que impactam não só turistas, como também os moradores. Este artigo será atualizado periodicamente, com a situação em cada país e as medidas que cada governo está tomando quanto a circulação de pessoas e reembolsos.

Ainda quanto aos reembolsos, cabe lembrar que a maioria das agências, hotéis e operadores de turismo tem sido flexíveis quanto a reembolsos integral ou remarcação de reservas.

Coronavírus na Argentina

A situação: Até agora, são registrados 97 pessoas contaminadas e 3 óbitos, sendo que 70% dos casos estão na região Metropolitana de Buenos Aires. O presidente Alberto Fernandez deve anunciar Estado de Quarentenaté sexta, 20/3.

As medidas: Além da quarentena para turistas, aulas e grandes eventos foram suspensas e todos os parques nacionais fechados. O governo pode decretar a qualquer momento quarentena total: os argentinos deverão ficar em suas casas, com permissão para sair apenas para comprar alimentos ou remédios. Porém, isso ainda não se confirmou.

A situação para turistas: Todas as pessoas que chegaram dos Estados Unidos, Europa, Irã, China e Coreia do Sul devem isolar-se por 14 dias, a contar de sua entrada no país. Só podem sair em caso de urgência de saúde. Quem não cumpre, está sendo detido ou expulso do país. Algumas províncias já proibiram o transporte interprovincial: Chaco, Jujuy, Mendoza, Santa Fe, Tierra del Fuego e Saniago del Estero. Fronteiras e aeroportos estão fechados desde segunda, 16/3, por 15 dias.

Reservas: Por determinação do governo, hoteis, agências de viagens e alojamentos temporários, como os do AirBNB precisam ressarcir todos os clientes com reservas entre 18 e 31 de março, de maneira integral.

Coronavírus na Bolívia

A situação: Os primeiros casos de coronavírus foram confirmados em 10/3. Na quinta, 19/3, foram registrados 15 casos, localizados em La Paz, Cochabamba, Oruro e Santa Cruz de La Sierra. As fronteiras e aeroportos estão fechadas até 31 de março.

As medidas: Veículos, incluindo motos e caminhões, só podem circular das 5h às 17h, sob pena de serem apreendidos. O transporte entre municípios e províncias (Estados) está suspenso. A jornada de trabalho foi reduzida das 8h às 13h, com excessão dos mercados, que podem ficar abertos até às 15h. Aulas estão suspensas e aglomerações com mais de mil pessoas.

A situação para turista: Até o momento, hoteis e alojamentos continuam abertos. As fronteiras terrestres foram fechadas na quinta 19/3. Vôos internacionais estão suspensos a partir de sexta, 20/3.

Reservas: O governo não decretou nenhuma medida, até o momento, sobre reembolsos.

Coronavírus no Chile

A situação: Está com 342 casos e nenhuma morte. O presidente, Sebatian Piñera, decretou Estado de Exceção por 90 dias nesta quarta, 18/3.

As medidas: Na segunda, 13/3, foi anunciado que as fronteiras seriam fechadas a partir de quarta, 18/3, por 14 dias. As aulas estão suspensas e eventos com mais de 50 pessoas. Desde quinta, 19/3, Centros Comerciais e shoppings estão fechados, à exceção de farmácias, bancos, supermercados e centros médicos.

Turistas: Com as fronteiras fechadas, há turistas brasileiros presos no país. Na Isla de Pascoa, foi decretada quarentena e as pessoas só podem sair de casa para ir ao mercado ou comprar medicamentos.

Reembolsos: O governo não anunciou nenhuma medida e a maioria das companhias ainda não emitiu comunicados.

Coronavírus na Colômbia

A situação: Tem 108 casos confirmados e nenhum óbito. O presidente, Ivan Duque, decretou Estado de Emergência por até 90 dias.

As medidas: Na Colômbia, lugares e eventos com mais de 50 pessoas, bares e discotecas estão com funcionamento suspenso. O governo vai implementar um “simulacro” de quarentena. Nos departamentos (Estados) de Meta, Boyacá, Santander, Bogotá e Cudinamarca, será realizado um exercício de quarentena entre 20 e 23 de março: serviços não essenciais serão suspensos e as pessoas devem ficar isoladas em casa, saindo apenas para comprar mantimentos e remédios.

Turistas: As fronteiras terrestres foram fechadas até 30 de maio. Os aeroportos vão fechar somente a partir de segunda, dia 23 de março, e há tempo para deixar o país.

Reembolsos: O governo não emitiu nenhuma medida sobre reembolsos de reservas.

Coronavírus no Equador

A situação: O país está perto dos 200 casos, com três óbitos. Foi decretado Estado de Exceção pelo presidente Lenin Moreno na segunda, 16/3. A situação é mais crítica em Guayaquil.

As medidas: Todos os serviços considerados não essenciais foram suspenso, como também o trabalho presencial. Com o Estado de Exceção, também vigora um toque de recolher entre as 9 da noite até as 5 da manha desde qinta, 19. A circulação de veículos particulares será através de um rodízio, levando em consideração a placa dos carros. Viagens entre províncias (estados) estão suspensas por 14 dias, como também o funcionamento dos aeroportos.

Turistas: Desde segunda, 16/6, as fronteiras estão fechadas. Mesmo com permissão para turistas saírem, o cancelamento de viagens aéreas deixou, pelo menos, 15 brasileiros presos no Equador.

Reembolsos: O governo não emitiu nenhuma medida.

Coronavírus no Peru

Situação: O país tem 234 casos confirmados e o presidente Martin Vizcarra decretou Estado de Emergência na segunda, dia 16, com duração de 15 dias. Novas medidas restritivas foram anunciadas no dia 18/3, com imposição de um toque de recolher.

Medidas: Com o Estado de Emergência, comércio, hoteis, bares e restaurantes, e proibindo o transporte intermunicipal e interprovincial (entre estados). Desde quarta, 18/3, vigora uma “imobilização social obrigatória” – um toque de recolher proibindo as pessoas de saírem de casa das 20h às 5h, sob pena de detenção e cobrança de multa de PER 6300 (cerca de R$ 8 mil). Na primeira noite, 140 peruanos foram detidos pela polícia por descumprir a ordem. Fora do toque de recolher, é permitido que apenas uma pessoa saia de casa por família, apenas para ir ao mercado, farmácia ou urgências médicas. Todos os demais estabelecimentos estão fechados.

Turistas: Com o toque de recolher, as fronteiras e aeroportos também foram fechados na segunda e há um problema sério com os turistas que estão presos no país – só brasileiros, são cerca de 3700. O Itamaraty confirmou somente na quinta, 19/3, que vai começar a retirar os brasileiros.

Reembolsos: O governo não decretou nenhuma medida, além do reembolso ou remarcação gratuita de reservas do parque Machu Picchu e da Trilha Inca. Algumas empresas locais, como a companhia de ônibus Peru Hop, garante o reembolso integral, desde que solicitado até 72 horas antes da viagem. Outras companhias, como Cruz del Sur e Oltursa permitem a remarcação das passagens sem custos adicionais.

Coronavírus no Uruguai

A situação: O primeiro caso de coronavírus no Uruguai foi registrado na sexta, 13/3. Na quarta, 18/3, já são 50 casos, de forma que pode ser decretado Estado de Emergência a qualquer momento.

As medidas: Luis Lacalle Pou, presidente do Uruguai, determinou o fechamento das fronteiras com a Argentina na segunda, dia 16. A partir de sexta, 20/3, voos vindos e com destino a Europa.

Turistas: As fronteiras entre Brasil e Uruguai seguem abertas, porém podem fechar a qualquer momento.

Reembolsos: O governo não emitiu nenhum comunicado sobre reembolsos

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.