É possível viajar pagando com BitCoin e criptomoedas? Vale a pena usar esse método para câmbio?

O BitCoin, Ethereum e outras criptomoedas tiveram grande valorização e ganharam destaque em 2021. Inclusive, países como El Salvador e Cuba aprovaram leis considerando o BitCoin uma moeda legal, incentivando seu uso dentro desses países.

Vale ressaltar que a tecnologia blockchain ainda está se desenvolvendo. As taxas altas de transferência e baixa capacidade de transações por segundo que sempre foram críticas ao BitCoin, por exemplo, estão sendo resolvidas por projetos como da Lighting Network, como falaremos neste artigo.

Para alguns turistas, como os brasileiros, que pagam altas taxas de transferência, câmbio e impostos, a utilização de criptomoedas pode significar uma boa redução de custos daqui alguns anos.

Mas hoje, vale a pena usar criptomoedas? Como funciona, quais são os riscos e as vantagens desse método de pagamento? Neste artigo, vamos falar tudo sobre criptomoedas.

Viajando com BitCoin: vantagens e desvantagens

O BitCoin é a primeira criptomoeda lançada no mundo, em 2008, e é hoje aquela com maior capitalização no setor. Com isso, é uma das moedas mais estáveis do ecossistema cripto – excluindo as stable coins, sobre as quais falaremos a seguir.

O BitCoin já passou por algumas turbulências e até mesmo “divisões” e atualizações, ou “hard forks” na sua rede, quando foi criado o BCH (BitCoin Classic), por exemplo. Mas a rede do BTC nunca saiu do ar, sempre se manteve inabalada e é hoje sua criptomoeda não só é referência de todo o sistema, mas a moeda que mais inspira confiança por quem investe e utiliza esse mercado.

Vale ressaltar que o BitCoin não foi pensado para ser um meio de pagamento, mas sim uma reserva de valor como o ouro – até por isso a quantidade de moedas disponível é limitada, assim como os metais preciosos. Com isso, sua proposta não era ser utilizado em pequenas compras: você não compra um cafezinho com ouro, para fazer a mesma analogia.

Porém, uma vantagem das moedas digitais é que sua tecnologia pode ser atualizada e hoje, algumas aplicações como a Lighting Network, usada em El Salvador, permitem uma grande quantidade de transações por segundos com baixas taxas, permitindo que se compre um cafezinho com satoshis (como são chamadas as frações de BitCoin).

É claro que o BTC não é perfeito e ainda apresenta alguns problemas que precisam ser resolvidos para ser utilizado como meio de pagamento. Ele não é aceito ainda em muitos lugares – lembre-se que há muitos países e até regiões no Brasil que não possuem internet. A instabilidade de seu preço frente ao dólar, que ainda serve como preço de referência mundial, ou até mesmo outras moedas fiduciárias, é outro problema. Vale lembrar, entretanto, que uma variação de mais de 50% já é normal na vida do brasileiro se pensarmos no câmbio entre real e dolar.

Vale ressaltar também que uma blockchain vai muito além de um método de pagamento. Inclusive, se quiser saber mais sobre o assunto, recomendo a leitura deste artigo sobre o que é blockchain, metaverso e NFT.

Vantagens: Método de pagamento rápido e com taxas baixas se utilizado com carteiras como a da Lighting Network. Pode ser acessado de qualquer lugar do mundo, não sendo necessários máquinas ou cartões, apenas acesso à internet, ou então com uma máquina e carteira física. Impossível acessar e fazer transferência e pagamentos sem ter a chave de acesso à carteira.

Desvantagens: Valor muito volátil, dificultando o planejamento financeiro da viagem. Ainda é pouco aceito e difundido como forma de pagamento mundo afora.

Saiba mais: Cuba autoriza o uso de criptomoedas como moeda legal

Como usar BitCoins

Para usar BitCoins, você precisará comprá-los em uma exchange de criptomoedas e transferi-los para uma carteira (wallet). Muito cuidado com a palavra-chave que será criada. Ela serve como acesso à sua wallet, se você perdê-la, pode perder todas as suas criptomoedas. Dependendo da wallet, não há nenhum sistema para recuperar a palavra chave.

Para pagar, basta enviar a quantidade de BitCoin para o endereço do vendedor e vice-versa. As wallets online, de celular, já possuem leitores de QR Code e outras facilidades.

.: Saiba como criar uma wallet de criptomoedas

Stablecoins

Stalecoins são moedas virtuais que representam uma moeda fiduciária real. O dólar tem diversas stablecoins, como o USDT, BUSD e USDC. O principal problema atualmente é a falta de regulação, de forma que as entidades que emitem essas stablecoins tem dificuldade de demonstrar que possuem capacidade para manter seu preço pareado no dólar.

Um exemplo disso é o USTC. O princípio é que 1 USTC valeria sempre 1 dólar, porém em maio de 2022, sem capacidade para absorver a venda, a instituição que emite o USTC, a Fundação Luna, viu o valor da stablecoin cair para menos de 1 centavo de dólar.

Ethereum, Cardano, Solana e outras altcoins

Após o BitCoin, uma série de outras criptomoedas e tokens apareceram. Muitas, possuem sistemas com velocidade e taxas que deixam a solução da Lighting Network parecer arcaica, como o caso da Cardano e da Solana.

É claro que o mundo não é perfeito. A rede da Solana (SOL) já saiu do ar algumas vezes – nada que não tenha ocorrido com a MasterCard ou a Visa, mas que atrai olhares desconfiados frente a uma tecnologia nova, que muitos vendem como perfeitas. A Cardano (ADA), por sua vez, ainda apresenta dificuldades para processar muitas transações simultâneas.

Vale ressaltar que o BitCoin roda na rede do BitCoin, o Ethereum na rede do Ethereum, a Solana na rede da Solana e que nem todas as carteiras aceitam determinadas blockchains. Ao enviar criptomoedas, também é preciso ter cuidado para enviar na mesma rede utilizada pelo recebedor.

Vale a pena viajar usando criptomoedas? A nossa conclusão

Como ressaltamos, a tecnologia blockchain ainda está começando a se desenvolver como forma de pagamento. Provavelmente, a adoção do dinheiro digital é só questão de tempo, em um mundo que os meios analógicos e o papel estão sendo substituídos. Inclusive, pode levar anos até que este se torne o principal método de pagamento em viagens, mesmo para aqueles que vão para El Salvador.

Entretanto, ter uma wallet online com algumas criptomoedas mais utilizadas, como o BitCoin, Solana ou BNB, pode se revelar útil hoje mesmo em alguns momentos de sua viagem, visto que há estabelecimentos em todo mundo que aceitam criptomoedas. Podem ser uma minoria, mas eles existem!

9 formas de levar dinheiro para uma viagem internacional

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.