Como é cruzar de ônibus a fronteira de Puno, no Peru, com Copacabana, na Bolívia

fronteira peru bolivia de onibus

De todas as fronteiras da América do Sul, essa é uma das que possui maior fluxo de turistas na América do Sul. Isso porque o posto de controle, chamado oficialmente de Kasani, às margens do Lago Titicaca, une dois dos destinos mais procurados no continente: as cidades de Puno, no Peru, com Copacabana, na Bolívia.

A fronteira não fica aberta 24 horas por dia, fechando ao fim do dia, por isso atenção ao planejar sua viagem. Muita gente pensa em fazer Copacabana como uma viagem bate-volta a partir de Puno ou pensa em fazer uma viagem noturna de La Paz para o Peru e acaba não conseguindo por causa desse horário restrito.



Como é cruzar a fronteira de ônibus

fronteira kasani puno copacabana

Quando cruzei, do Peru para a Bolívia, por Kasani, tomei um ônibus pela companhia Titicaca. A viagem durou, no total, cerca de três horas. O motorista parou um pouco antes do posto de controle peruano e fizemos toda a travessia e os trâmites a pé. As mochilas ficaram no ônibus e não passaram por nenhuma inspeção.

Como os ônibus tem horários pré-determinados (sempre de dia), uma grande fila já estava formado do lado boliviano, onde era preciso dar entrada. Os trâmites foram bem rápidos e não pediram a Carteira Internacional de Vacinação para Febre Amarela. Mesmo assim, não dê bobeira e tenha ela em mãos: você não entra no País caso pedirem e não tiver.

Importante: brasileiros não precisam pagar nenhuma taxa para entrar ou sair da Bolívia, mas os guardas podem lhe pedir uma propina (gorjeta). Quanto ao seguro-viagem, não é exigido, mas se você tiver possibilidades de incluí-lo em seu orçamento, é indicado. Médicos são caros no país e o sistema de saúde público bem precário.

Visto de turista

taquile puno peru
Ilha de Taquile, em Puno

Brasileiros não precisam de passaporte para entrar na Bolívia e podem ingressar somente com sua identidade. Os bolivianos costumam dar, no máximo, um mês de permanência para turistas no país, mas brasileiros podem ficar até três meses. Caso for necessário, basta ir até um posto de imigração de uma grande cidade boliviana para renovar o visto por mais um mês, sem nenhum custo.

Alternativas: Van e travessia Desaguadero

É possível economizar alguns soles fazendo essa mesma travessia de van. Primeiro, tome uma em Puno até Kasani ou Yunguyo, uma cidade que fica a um quilômetro da frenteira. Depois, pegue outro veículo no lado boliviano, para Copacabana.

Para quem quer ir direto para La Paz, há um caminho muito mais rápido, indo pela fronteira de Desaguadero. Ao comprar sua passagem de ônibus, pergunte por qual fronteira você vai cruzar. Da mesma forma que Copacabana, você pode fazer a travessia por Desaguadero, de van. O posto de controle fica em uma ponte, no meio da cidade.

As margens do Lago Titicaca são povoados por pessoas muito humildes. Ao mesmo tempo, o fluxo de turista atrai aproveitadores para cidades maiores, como Puno e Desaguadero. Fique mais atento nesses lugares.

Cuidados

copacabana bolívia
Copacabana, na Bolívia

Na hora de fazer os trâmites de fronteira, não marque bobeira. Vá direto aos postos de controle e faça o que precisa fazer, depois concentre-se em tirar fotos. Mesmo que o ônibus dê tempo suficiente para os passageiros passarem pela alfândega, alguns turistas costumam ser esquecidos em Kasani.

Os motoristas ligam o ônibus, buzinam uma, duas vezes e depois disso não costumam ter muita paciência para esperar os passageiros, principalmente os bolivianos. Se você não estiver dentro do veículo ou próximo, é bem possível que sua mochila chegue antes de você a Copacabana.

Aí, você precisa tomar uma van (há várias esperando na fronteira) e passar na oficina da empresa de ônibus para tomá-la de volta.

.: Gostou das dicas? Então veja nosso guia do que fazer em Puno, no Peru

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.