6 pequenas cidades da América do Sul pelas quais você vai se apaixonar

Algumas pequenas cidades tem um charme único e sempre me atraíram. Muitas, como Barichara, na Colômbia, foram fundadas há séculos, quando eram centros econômicos importantes. Por algum motivo, perderam notoriedade e pararam no tempo. Mas continuam ostentando, na fachada dos prédios, nas praças e nos calçamentos das ruas, as mesmas pompas que no passado.

Outras, de difícil acesso, como El Chaltén, na Argentina, formam pequenas aglomerações urbanas entre montanhas e começaram a ser descobertas nas últimas décadas.

Para fazer a lista, utilizamos dois critérios principais: as cidades devem ter menos de 10 mil habitantes e nós precisamos ter pisado nelas. Sintam-se livre para comentar e ajudar a aumentar essa lista!



1. Águas Calientes (Peru – 1600 habitantes)

cidade montanhas

O Machu Picchu Pueblo é um pequeno povoado, de difícil acesso, cercada por montanhas, incluindo as que escondem Machu Picchu. Águas Calientes é cortada pelo rio Urubamba, que forma o fértil Vale Sagrado dos Incas. Como não há nenhuma estrada até a cidade, as únicas formas de chegar são de trem ou caminhando, por quase duas horas, desde a hidrelétrica. Como prêmio, não se vê ou ouve nenhum carro circulando andando pelas ruas, somente pessoas!

Pode-se dizer que a cidade é nova. Começou a ser povoada com a construção da ferrovia, nos anos 1920, e viu algum progresso nos anos de 1950 e 1960, com as obras da hidrelétrica. Na década de 80, MaPu foi declarada patrimônio da humanidade pela Unesco e recebeu muitos investimento em infraestrutura por parte do governo. Na época, o destino recebia cerca de 80 mil turistas por ano e viu um crescimento lento nesse número até 2007, quando foi declarada uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno.

2. Toro-toro (Bolívia – 684 habitantes)

cidade toro toro

Toro-toro é tão pequena que, talvez, seja um erro chamar de cidade. Mas está dentro de um dos parques mais bonitos da América do Sul. A cidade resiste à passagem do tempo. Mesmo que algumas melhoras em infraestrutura tenham sido feitas nos últimos anos, graças ao turismo, ainda há diversas casas de adobe em pé e parte dos moradores ainda vive da agricultura e pecuária.

Para chegar, é necessário ir, primeiro, a Cochabamba. Depois, tomar uma van ou um ônibus. São de quatro a seis horas de viagem, dependendo do estado da estrada e de quantas paradas o veículo fizer.

3. El Chalten (Argentina – 1627 habitantes)

cidade montanhas

El Chalten foi fundada a menos de 40 anos pelo governo da Argentina, com o intuito de resolver uma disputa por território envolvendo o Chile, que reivindicava para si os campos de hielo del sur (se você olhar o mapa, verá que não há uma ‘fronteira’ entre os dois países nesse ponto). A beleza da região já chamava a atenção de alpinistas e outros amantes de esportes de aventura. E a fundação de uma cidade trouxe infraestrutura para o local e transformou El Chalten em um local acessível para turistas. Fica dentro do Parque Nacional de los Glaciares.

4. Barichara (Colômbia – 7215 habitantes)

ruas casas igreja

Barichara foi fundada no século XVII, erguida em torno de um milagre. Um camponês teria conversado com a virgem Maria e, como prova, sua imagem ficou entalhada na pedra onde estava sentada. O mesmo material foi utilizado para erguer a cidade, que teve suas décadas de desenvolvimento e glória.

De certa forma, visitar Barichara é voltar para esses tempos. As construções, as ruas de pedras e até mesmo a vida dos moradores continua da mesma forma que há dois séculos atrás. E se não é o bastante, ali perto estão dois belos cânions: o Chicamocha e o Suarez.

5. Copacabana (Bolívia – 3 mil habitantes)

pedras cidade lago

O lago Titicaca está envolvido com a história dos povos originários da América do Sul. Suas águas foram sagradas para diversas civilizações, antes mesmo do surgimento dos incas na Isla del Sol (ao menos, é o que conta a lenda). Ao iniciar a conquista do continente, os espanhóis também não demoraram muito para estabelecer raízes pelas suas margens: começaram a povoar a região em 1550.

A imponente Basílica de Copacabana, no centro da cidade, começou a ser construída nesse ano e resiste, imponente, ao tempo.

6. Pisco Elqui (Chile – 800 habitantes)

O vale de Elqui é pouco conhecido pelos brasileiros. É uma ótima parada para quem está viajando entre Santiago e San Pedro de Atacama por terra (são mais de 20 horas para percorrer os quase 2000km de trajeto). Pisco Elqui está próximo de La Serena e, segundo os peruanos, o pisco foi criado ali (afirmação que quase provocou algumas guerras com o Peru).

A cidade é pequena, cheio de campings à beira do rio. Próximo, fica Horcón, um vilarejo de artesões que os turistas costumam conhecer alugando uma bicicleta. O Valle de Elqui também tem um dos céus mais claros do mundo e existem diversos observatórios astronômicos instalados nos seus dois montes mais altos.

.: E ai, você acha que esquecemos de alguma cidade? Então comenta aí pra gente e vamos aumentar essa lista!

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

6 comentários em “6 pequenas cidades da América do Sul pelas quais você vai se apaixonar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.