Como funciona a Wise no Brasil? É seguro usar e transferir dinheiro?

transferwise como funciona é seguro

A Wise – antigamente chamada de TransferWise – vem deixando de ser uma alternativa e se tornando a principal opção para quem precisa transferir dinheiro para fora do Brasil ou receber pagamentos de países estrangeiros. E pode ser útil até mesmo em uma viagem, caso você tenha um familiar ou amigo de confiança no seu destino, pois você fará a transferência por um câmbio melhor, pagando menos taxas e menos IOF ao governo.

Se o dinheiro demora alguns dias para ser transferido pela Wise, a empresa ganha no valor, já que os custos chegam a ser 8 vezes menores do que utilizando um banco tradicional (o que não é de se espantar, já que alguns bancos, como o Itaú, chegam a cobrar só em taxas R$ 150 em transferências internacionais!)

Saiba mais sobre a Wise, que hoje tem mais de 3 milhões de usuários ativos em todo o mundo e entenda porque ela vem revolucionando a forma como enviar e receber dinheiro do exterior!

Afinal, o que é a Wise?

A startup nasceu em 2010, no Reino Unido, criada pelo mesmo grupo que fundou o Skype, adquirido mais tarde pela Microsoft e o Paypal. Após 20 anos de existência e se espalhando para dezenas de países, a TransferWise se reposicionou no mercado e passou a ser chamada de Wise.

Em meio às altas taxas de cambio e de tarifas caríssimas para transferências internacionais cobradas pelos bancos, os idealizadores da companhia descobriram uma forma de reduzir drasticamente os custos de envio de dinheiro para o exterior.

Assim, criaram uma empresa em que o dinheiro muda de contas, porém não atravessa a fronteira dos países! 

Como a transferência funciona?

Atualmente, a empresa possui contas em 59 países do mundo. Digamos que você queira mandar dinheiro para a Inglaterra. Primeiro, vai fazer a transferência da sua conta bancária para a conta da Wise ou fazer um depósito através do pagamento de um boleto bancário.

Assim que a operação for confirmada, a empresa vai avisar sua unidade na Inglaterra, que transferirá o dinheiro da conta inglesa para o beneficiário no país estrangeiro. A operação é realizada entre contas de dois países, sem que o dinheiro efetivamente vá de um país para o outro!

A instituição cobra pela transferência, como falaremos logo mais, porém pratica valores muito menores que os grandes bancos tradicionais.

Leia também: 8 formas de levar dinheiro em uma viagem para fora do Brasil

Transferir dinheiro pela Wise é seguro e legal?

Sim, as operações são legais e seguras. Dentro do percentual cobrado da instituição pelas operações, estão os descontos de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) de 0,38% (quando você mandar para alguém) e 1.1% (quando você receber), que é pago ao governo. Dessa forma, a operação perante o tesouro é internacional é legal.

O usuário também precisa se identificar, passando dados fiscais como CPF. Ainda há limites nos valores que podem ser transacionados – até R$ 50 mil por ano, sendo US$ 3 mil ou R$ 9 mil por mês. Se for necessário fazer envios de montantes maiores que esse, é preciso informar a instituição e realizar alguns procedimentos legais.

Outra coisa bacana da Wise é que os usuários dispõem de atendimento online para esclarecer dúvidas ou buscar a solução de qualquer problema. Ah, e muito importante: ao fazer uma transferência, o sistema vai notificando os usuários sobre todos os passos da transação em tempo real, de forma que você literalmente acompanha o seu dinheiro.

Antes de fazer a operação, a transparência é total. O sistema informa, de maneira clara, quanto se está pagando de taxas para a empresa, o câmbio, o valor a ser transferido e o montante em dinheiro estrangeiro que o beneficiário irá receber.

Assim, fica mais fácil comparar as taxas de câmbio com outras instituições e até as tarifas.

Quanto é cobrado pela operação?

São cobradas duas taxas, uma fixa por operação e outra por percentual enviado. Por causa do IOF, a taxa de percentual varia entre 2,42% e 1,70% do valor total, dependendo se você está enviando ou recebendo o dinheiro.

Já a taxa fixa varia conforme o país e a forma como você vai fazer a operação: se por transferência bancária ou pagamento de boleto. Em geral, fica entre R$ 7 e R$ 10.

Por fim, há a taxa de câmbio cobrada por cada instituição financeira no momento da conversão, que é um dos grandes diferenciais da Wise. Ao utilizar o câmbio comercial e não o turismo, você chega a pagar até 10% menos na conversão de moedas (os bancos ainda cobram uma taxa extra, de forma que o Banco Central possui um ranking com o câmbio cobrado pelas instituições financeiras no Brasil).

Se você for enviar R$ 1000 para a Inglaterra, por exemplo, e fizer a transferência via TED, vai deixar para a Wise 2.42% do valor, mais a taxa fixa de R$ 7. Com isso, vai pagar um total de R$ 30,46 em taxas! Para comparar: se você fosse fazer a transferência de R$ 1000 pelo Itaú, pagaria R$ 115 de tarifas, mais o IOF de R$ 63,80, deixando quase 20% do valor para o banco! 

Isso que falamos do Itaú, que é uma instituição que tem as melhores tarifas para transferências internacionais. No Banco do Brasil, Bradesco e até no Santander (fora a modalidade de conta Select), as taxas são ainda maiores.

.: Clique aqui e abra uma conta gratuita na Wise

Quanto tempo demora?

As transferências podem acontecer em até dois dias uteis, mas normalmente são necessários de quatro a cinco dias uteis para o dinheiro cair na conta estrangeira ou vir de fora do país. Lembre-se que, em caso de pagamento por boleto, são dois dias uteis apenas para o dinheiro entrar na conta da Wise. Já por TED, a transferência é feita para a conta da empresa no Brasil em no máximo 24 horas!

Segundo a empresa, essa demora é justificada pelo próprio modelo de transferência que utilizem. Lembra-se que a transferência não é propriamente realizado, porque o dinheiro não atravessa fronteiras?

É um pouco complicado de explicar, mas é assim: quando você faz uma transferência pro exterior, o montante fica em uma conta brasileira e é repassado para outro brasileiro que está recebendo um depósito no exterior. Assim, a velocidade da transferência depende da liquidez das contas da Wise no país do beneficiário. 

Desvantagens da Wise

Se as taxas e tarifas são baixas, a transferência pode demorar, efetivamente, uma semana para acontecer. Outra desvantagem do sistema é a necessidade em se ter uma conta no país de destino, com isso pode ser um tanto inviável de utilizar em uma viagem para o exterior. A não ser que você conheça alguém, no seu destino, de total confiança, para quem você possa fazer um depósito.

Ao mesmo tempo, para quem vai trabalhar fora do país, recebe algum pagamento ou até vai realizar um intercâmbio, a Wise é a ferramenta ideal para não pagar as abusivas taxas dos bancos brasileiros.

Como usar

Primeiro, você deve entrar no site da Wise (clique aqui para acessar) e criar uma conta. Em princípio, vai precisar apenas de um nome de usuário, e-mail e senha. Se preferir, pode se logar com seu perfil no Facebook ou com o e-mail do Google. Logo depois, a ferramenta já vai solicitar seu dados para efetuar a primeira transferência para o exterior.

O ideal é você fechar a seu browser, confirmar seu e-mail e se relogar no sistema do Wise. Você entrará em um painel com várias opções, entre elas enviar e receber dinheiro. O sistema está todo em português e os processos de envio e recebimento são feitos em 5 passos, tudo de forma intuitiva e guiada pelo sistema.

A plataforma de envio também permite total transparência para você saber onde está indo seu dinheiro na hora da conversão. Informa de forma clara a comissão cobrada pela Wise e a taxa de câmbio no momento do envio.

Recebendo dinheiro do exterior

Brasileiros ainda não podem ter a conta multi-moedas da Wise. No caso de recebimento do exterior, você terá que informar o número de sua conta aqui no Brasil, agência e mais dois códigos. Um é o SWIFT/BIC, que diz respeito a seu banco e agência (no caso do Itaú em São Paulo, seria como ITAUBRSP). O outro é o código IBAN (International Bank Account Number), referente ao número de sua conta e endereço da sua agência.

O código SWIFT/BIC é encontrado no próprio site dos bancos. Já o IBAN pode ser um pouco mais complicado de encontrar, geralmente está dentro do acesso restrito dos internet banking. Em caso de dúvidas quanto a isso número, recomendamos que entre em contato com sua agência.

Se você se interessou, acesse agora mesmo o site oficial da Wise

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

2 thoughts on “Como funciona a Wise no Brasil? É seguro usar e transferir dinheiro?

  • setembro 28, 2020 em 11:50 pm
    Permalink

    Resumo para turistas em passeio pelo exterior: TransferWise boa pelas taxas mas requer uma conta bancária no país exterior, turistas podem não ter essa facilidade, a Western Union cobra um tanto mais caro, mas tem lojas em cada esquina nos locais turísticos em todo o mundo, saque fácil bastando apresentar documento (passaporte ou cédula de identidade no Mercosul) + o código gerado e sacar o valor em qualquer loja Western Union e por fim bancos brasileiros piores pois cobram taxas altas demais. Conclusão: turista que precisar de dinheiro emergencial em viagens turísticas ao exterior melhor contar com a Western Union solicitando que parentes ou amigos no Brasil possam enviar o dinheiro emergencial.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.