Onde fica Machu Picchu, uma das cidades perdidas dos Incas

rio urubamba cusco

Desde 2007, quando Machu Picchu foi declarada uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno, o número de pessoas interessadas em conhecer a cidade inca só cresce. Isolada em meio a montanhas, Machu Picchu fica no vale do rio Urubamba, próximo a Cusco, no Peru, aos 2400 metros do nível do mar.

Como não existem estradas para ir ao sítio arqueológico, as únicas formas de chegar são por meio de trem (que não é barato) ou a pé. Primeiro, é preciso ir até Águas Calientes, a cidade que fica aos pés de MaPu, para então subir ao parque onde está localizada a cidade perdida.

Quanto a segunda opção, a maneira mais rápida e confortável é combinar o trajeto de van (viagem de seis horas desde Cusco) com uma caminhada de duas horas, até Águas Calientes, a partir da hidrelétrica.




O Vale Sagrado dos Incas

vale montanhas

Machu Picchu é mais uma das cidades incas construídas ao longo do vale formado pelo rio Urubamba. Após serem expulsos da região próxima ao Lago Titicaca, os incas migraram para as terras onde hoje é Cusco e fundaram uma nova cidade.

A primeira expansão territorial começou pelo hoje chamado Vale Sagrado dos Incas. O solo fértil, combinado com as técnicas de plantio e irrigação nativas, colaboraram com a expansão e desenvolvimento do império. Cidades como Pisac e Ollantaytambo foram erguidas próximas ao Urubamba.

Interessante perceber que esse mesmo rio entra em território brasileiro, onde assume o nome de Solimões e, após se fundir com o rio Amazônas, deságua no oceano Atlântico.




O que foi Machu Picchu?

Cada cidade inca possuía uma função e não se sabe ao certo para que Machu Picchu servia. As teorias vão desde uma colônia de férias para o imperador desde um local onde os nobres mandavam seus filhos para estudarem. O que se tem certeza é que a cidade foi abandonada pelos nativos, certamente para que os espanhóis não a encontrasse.

machu picchu

Cercada pelo rio Urubamba e três grandes montanhas, Machu Picchu estava em um ponto seguro do vale, de forma que qualquer inimigo que se aproximasse seria visto à distância.

Erguida em uma região onde chove muito e terremotos são comuns, pouco mais de 30% da cidade estava de pé quando foi oficialmente descoberta, em 1911, pelo americano Hiram Bingham. E suas edificações só estavam de pé por causa das técnicas de irrigação utilizada pelos incas, que evitaram uma maior erosão mais agressiva do solo, e a forma como encaixavam as pedras nas construções.

Um fato curioso é que, quando Bingham chegou ao local, não encontrou praticamente nenhum objeto, estátua ou artefato. Acredita-se que outros arqueólogos tenham chegado em Machu Picchu durante os anos 1800 e saqueado o atual sítio arqueológico.

Está gostando das dicas?

Então lhe convidamos a conhecer o Guia do Mochileiro Aventureiro – Machu Picchu e Cusco. São 120 páginas que reúnem toda informação que você precisa para uma viagem inesquecível pelo Vale Sagrado dos Incas, uma região cheia de nevados, montanhas coloridas e sítios históricos!

Com conteúdo original e dicas únicas da equipe do A Pé no Mundo, o guia permite uma viagem de 3 dias a 2 semanas pela região. Clique aqui e saiba mais.

A cidade perdida dos incas

Quando foi descoberta, muitos arqueólogos achavam que Machu Picchu era Vilcabamba, a cidade perdida dos Incas. Durante a invasão espanhola, alguns incas se refugiaram em algum lugar isolado do Vale Sagrado, onde fundaram uma nova cidade. Chamada de Vilcabamba, ela foi a última capital do império inca.

Por séculos, historiadores, arqueólogos e pesquisadores buscaram por Vilcabamba. Além de Machu Picchu, ela foi confundida com outras cidades abandonadas, como Choquequirao. Até hoje, não se tem consenso sobre sua localização exata.

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.