Paracas e Ica (PER): praias vermelhas, ilhas com leões marinhos a um oasis no meio do deserto

pacifico-paracas
Praia de Yumaque

Fora do eixo principal do turismo peruano, estão três pequenas cidades localizadas à beira do Oceano Pacífico, a cinco horas de Lima. Ica, a maior delas, é famosa por causa de Huacachina, um oasis no meio do deserto. Pisco, que já foi o destino de muitos turistas, segue sendo reconstruída depois do terremoto que a devastou em 2007. E a pequena Paracas, que costeia a península de Balestras, vem se elitizando a cada ano com a construção de novos condomínios fechados para os abastados limenhos.

Minha escolha foi Paracas, por ser menor e mais calma que as outras duas cidades e por permitir um passeio que há muito planejava: alugar uma bicicleta e pedalar o dia todo pela reserva nacional de Paracas, um deserto vermelho à beira do Pacífico. A cidade também é o porto para quem deseja navegar pelo arquipélago de Balestras, uma reserva dentro do mar onde se veem mais aves e lobos marinhos que em todos os programas do Discovery Chanel juntos (e na época certa, muitos pinguins também).

lbos-leao-marinho

Reserva nacional de Paracas

deserto-paracas

São diversas praias – não banháveis – que se espalham por um deserto a beira do Oceano Pacífico. Pode ser visitada de bicicleta, com total liberdade para pedalar pelas estradas ou pelas dunas, ou por um tour que dura cerca de três horas.

A reserva possui 325 mil hectares, sendo 200 mil no Oceano Pacífico. Porém, nem todo o parque está aberto a visitação. Quando fui, infelizmente, estavam fechados dois trechos, sendo um deles o que leva até “La Catedral”, uma formação rochosa pontiaguda que se assemelha às torres de uma igreja.

Além do deserto de montanhas rubras, é no parque que está localizada a Playa Roja, uma praia de areia e montanhas vermelhas, além das praias de Yumaque e Punta Arquillo, onde ficam os restaurantes e bares da reserva. Indico a todos ir de bicicleta até a reserva. A sensação de liberdade em se pedalar por um deserto e a vista das praias à beira de ribanceiras é única. Caso a ideia for fazer o tour de van, eles saem todos os dias de Paracas. Outra opção é alugar “motojipes”.

playa-roja
Playa Roja

Islas Balestras

arquipelago-paracas

Com porto localizado em Paracas, é a casa de pinguins, lobos e leões marinhos, além de dezenas de espécies de aves. Fica a meia hora de barco do continente. As ilhas são formadas por diversas rochas, muitas delas perfuradas pela ação do pacífico. As águas frias fazem com que, em determinadas épocas do ano, milhares de pinguins façam do arquipélago a sua casa.

Os barcos costumam passar muito perto das ilhas, sendo possível ver os lobos e leões marinhos e as dezenas de espécies de aves nativas e migratórias muito de perto. Os tours saem todos os dias, às 8h e às 10h.

passaros-paracas

Huacachina

huacachina

O oásis está muito próximo de Ica. Possui, hoje, toda uma infraestrutura com hosteis e restaurantes (que são caros, se a ideia é uma viagem mais econômica, durma em Ica ou Paracas). Huacachina fica a beira de dunas com mais de cem metros de altura e muitas pessoas vão até o local para praticar sunbording (surfar na areia).

Também é possível nadar e navegar pelo lago do oásis, que está apinhado de peixes, e fazer passeios de bugui pelo deserto, baixando e subindo pelas dunas.

huacachina-estatua
Sereia Huacachina

Custo

Hostel com quarto compartido em Paracas: a parit de PER 18
Prato de comida: A paritr de PER 10 (os menus mais baratos que encontrei)
Entrada para as Islas Balestras e a Reserva de Paracas: PER 15 as duas (validas por dois dias) ou PER 10 individual
Aluguel de bicicleta: PER 25 o dia
Tour de van à reserva (duração de três horas): PER 35
Tour de barco às Islas Balestras (duração de duas horas): PER 25 + taxa de PER 3 (para utilização do ancoradouro)

reserva-paracas
Punta Arquillo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.