Morro Quente x Barreiro: trekking pelo Cânion Pedras Brancas (RS)

trekking no rio grande do sul morro quente tres forquilhas

Este é um dos circuitos de trekking mais bonitos do Rio Grande do Sul. A caminhada, de cerca de 30 quilômetros, é realizada nos municípios de Três Forquilhas e Itati, próximo ao início da Rota do Sol. Quem se aventura por essas trilhas ganha de presente belas paisagens de vales, montanhas e cachoeiras, além do cânion Pedras Brancas, que já apareceu em vários artigos aqui do blog!

O grande barato de fazer o circuito dessa forma é, na volta, passar por cima das cachoeiras que vemos de frente desde o Morro Quente. Quer entender melhor esse trajeto? Então confere nosso relato!

Mas atenção: este percurso não é para iniciantes. Não há campings organizados e muitas vezes não há uma trilha para se seguir, então não se aventure por aqui sem conhecimento.

Mapa do Trekking Morro Quente – Barreiro

Dificuldade e planejamento

 

Para fazer esse circuito em dois dias, como está no mapa, é preciso ter um bom preparo físico e começar a caminhar cedo no primeiro dia. Como fizemos este circuito com carro particular, deixamos ele em um ponto fixo que foi nosso ponto de partida e de chegada, aumentando a distância a ser percorrida.

Com dois carros ou transporte particular/público, é possível eliminar cerca de oito quilômetros de trajeto feitos por estradas de terra.

Esta trilha também não é indicada para quem tem medo de altura, pois há várias partes expostas no Morro Quente!

  • Não deixe lixo, leve tudo que foi com você de volta para casa!
  • Não faça fogueiras!

Dia 1 – Morro Quente ao cânion Pedras Brancas (13,9km)

O nosso carro ficou no estacionamento da Igreja Evangélica de Três Forquilhas, em uma das estradas principais da pequena cidade. Antes de qualquer coisa, atente-se à água, porque você só vai encontrar fontes confiáveis no topo do Morro. Então, leve pelo menos 2 litros de água nessa subida. Protetor solar também é imprescindível, pois boa parte da trilha é exposta.

A partir da Igreja, é preciso seguir cerca de 2,5 quilômetros por uma estrada terra, morro acima, até o início da trilha que vai nos levar à escarpa do Morro Quente. Esta estrada está em péssimas condições e não é possível percorrê-la com um carro comum.

A estrada tem alguns entroncamentos – vá sempre para direita. Na dúvida, o seu caminho é aquele que vai para cima! No terceiro entroncamento, siga reto e você vai chegar em uma casa, ao fim da estrada. Suba pela pequena trilha que há ao lado direito e passe pela porteira (não esqueça de fechá-la.)

Agora que a coisa vai começar a ficar boa! Não “atravesse o morro”, siga pelo caminho de boi em direção a uma pequena floresta de galeria. A entrada para trilha fica do outro lado da cerca, caminhando um pouco mais você encontra a entrada. E para saber se chegou, é só olhar para o lado contrário, pois você estará de frente para um estonteante mirador!

Se você veio caminhando lá de baixo, este é um bom local para recuperar as energias, porque a trilha de verdade começa agora. O primeiro trecho da subida é bem inclinado e o solo é barroso e escorregadio, sem muitas pedras para dar sustentação. Aí é fundamental ter bastões ou improvisar cajados e dar passos firmes.

Logo o terreno começa a ficar mais pedregoso e se estará subindo pela encosta do Morro Quente. A trilha começa a ficar super exposta até sair para a escarpa – quanto mais exposta vai ficando, mais sensacional a vista! Do outro lado do vale está a Serra do Barreiro e a Serra do Pinto.

Chegar na escarpa é um alívio para os joelhos, pois vai deixar a trilha quase plana. A trilha vai percorrer a encosta do Morro Quente por algum tempo, entrando e saindo de pequenas florestas e voltando a expor o vale. O ponto alto da subida está aí, em um mirador que dá para as Cachoeiras da Serra do Barreiro.

A trilha vai seguir bem demarcada por mais 40 minutos, 1 hora, até acabar em um pequeno riacho – o primeiro ponto de água, mas não é aconselhável pegar água aí. Aqui é preciso ter um pouco de cuidado na navegação para não se perder. Atravesse o riacho e os arbustos. A trilha irá seguir mais a frente, olhando com cuidado é possível ver um caminho de pedras apagado, que vai levar até o entroncamento com a trilha da Serra do Barreiro. Um pouco mais a frente a uma fonte de água um pouco melhor que a anterior.

Até o Cânion Pedras Brancas, são mais uns 7 quilômetros de caminhada. Cerca de cinco deles por uma trilha muito úmida, até uma casa. Cruze pelo lado da casa e siga o caminho de boi até a porteira que dá em uma estrada que levará até o Cânion.

Nós ainda fomos mais à frente, para dormir próximo a uma área onde está o antigo galpão da Pedra Branca.

Aqui no blog ainda há outras trilhas que passam pelo Cânion Pedras Brancas, como a caminhada pelas Cumeeiras e a subida pelo Cânion Tajuvas, em Morrinhos do Sul. Nessa travessia pelo Tajuvas, também descemos pela Serra do Barreiro, porém fizemos um caminho maior, por estrada, como iremos falar em seguida.

Dia 2 – Cânion Pedras Brancas até a Serra do Barreiro (16,9km)

Se você deixou o carro na Igreja como nós, acorde cedo para levantar acampamento se quiser chegar na igreja ainda com sol – a caminhada é longa. Boa parte do caminho é muito semelhante ao que fizemos no dia anterior. Ainda seria possível tomar um caminho secundário e seguir pela estrada, que também acaba na trilha do Barreiro. Entretanto,mesmo estando em melhores condições que a trilha, o trajeto pela estrada tem quase o dobro de distância.

Inclusive, tome cuidado para encontrar a porteira para tomar o caminho de volta à trilha. A casa quase não é vista desde a estrada e é bem fácil de se perder.

Já na trilha, no entroncamento com a trilha do Morro Quente, siga para a Serra do Barreiro. Você vai passar por cima de uma das cachoeiras que viu no dia anterior e começar a descer para o vale. Logo ao lado da cachoeira, há um mirador para o vale e para o Morro Quente. É possível ver a trilha percorrida no dia anterior.

O aclive da trilha da Serra do Barreiro é bem mais acentuado que o do Morro Quente, a diferença é que o solo é mais estável por causa das pedras. A trilha também é menos exposta, porém desça com cuidado. Há várias quedas d’água atravessando a trilha, não tenha pressa.

No Barreiro, água também não é problema.

Seguindo nosso mapa, ao chegar ao fim da trilha, ainda há um longo trajeto, de cerca de 10 quilômetros por estrada, até onde deixamos o carro! Este trecho poderia ser evitado com um outro carro.

.: Confira mais trilhas para fazer no Rio Grande do Sul

Como chegar

Para chegar em Itati ou Três Forquilhas, é preciso tomar a Rota do Sol, estrada que se estende da Serra até o Litoral. Itati fica a cerca de 160 quilômetros de Porto Alegre e a 60 quilômetros de Torres, na divisa com Santa Catarina.

De ônibus – O mais indicado é pegar um ônibus até a cidade de Terra de Areia. Dali, é possível pegar um taxi ou outro transporte até o início da trilha. O valor vai ser de cerca de R$ 60, mas é possível negociar um preço melhor. Aplicativos como o Uber às vezes estão ativos no local e saem muito mais em conta.

De carro particular – O melhor é deixar o carro na igreja. Com dois carros, seria possível deixar um no início da trilha e outro no fim, economizando um bom trecho de caminhada.

Cuidados

  • Se a trilha da Serra do Barreiro tem várias fontes de água, o mesmo não acontece no Morro Quente. Prepare-se para esse trecho com água extra;
  • Botas ou um calçado mais fechado e impermeável são o mais recomendado para fazer esse trajeto, devido a umidade do solo e a quantidade de barro. Em geral, roupas impermeáveis também são recomendadas, visto que o clima muda muito rapidamente na região;
  • Esse trekking não é para principiantes ou pessoas que tem medo de altura;
  • Não deixe lixo na trilha!

Saiba mais
.: A trilha pelo Tajuvas até a outra face do cânion Pedras Brancas
.: A travessia até a Serra do Silveirão, em Mampituba

Trekking Morro Quente – Cânion Pedras Brancas – Serra do Barreiro

Dificuldade: Muito difícil
Duração: Dois dias
Distância: Cerca de 31km
Condição da trilha: Bem demarcada na maior parte do trajeto, com alguns trechos imprecisos

 

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

2 thoughts on “Morro Quente x Barreiro: trekking pelo Cânion Pedras Brancas (RS)

  • março 5, 2021 em 3:15 pm
    Permalink

    Boa tarde,

    Vi que já fizeram algumas alterações sobre a postagem do Cânion das Pedras Brancas, em resposta ao comentário de uma amigo (Bruno). Quero parabenizar a equipe do site por isso, fomos pegos de surpresa com o nível de dificuldade da trilha. Se eu não fossem 17 anos de escotismo nas costas, provavelmente teríamos passado um grande aperto!

    Ótimo final de semana!

    Resposta
    • março 6, 2021 em 9:54 am
      Permalink

      Oi Danielle! Sim, vamos fazer uma revisão de todas as trilhas do site e dar mais atenção pra essa questão de dificuldade, inclusivo colocando-as no padrão ABNT. Nos últimos meses, com a proibição de viajar para fora do Brasil, aumentou bastante as visitas e procuras por este tipo de atividade e com a ampliação do público, é bom aumentar o número de avisos até em questão de orientação, vivência em camping selvagem, né? A ideia é sempre que o pessoal curta a natureza, com alguém perrengue, mas não muito, ehehhe..e que ninguém se perca por aí!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.