Cânion Pedras Brancas e Tajuvas: travessia até a Rota do Sol

canion pedras brancasO que não faltam, na região montanhosa do Vale do Josafaz, são trilhas. As escadas de pedras, que ligam o topo dos cânions às diversas vilas povoadas eram utilizadas pelos tropeiros desde o século XVIII e, certamente, por índios e outros povos antes dessa época.

O trekking começa em Morro Azul, um distrito de Três Cachoeiras, com subida no Cânion Tajuvas, mas dessa vez sem passar pelo cânion Josafaz. O caminho segue em direção ao cânion Pedras Brancas, descendo pela Serra do Barreiros, até a Rota do Sol. Um pequeno trecho dessa trilha também é percorrido pela caminhada nas cumeeiras, cujo relato também está disponível no À Pé no Mundo.

Mapa

.: Baixe o GPS Track semelhante à trilha relatada

Se a subida pela fenda do cânion Tajuvas ou as araucárias ainda preservadas não forem atrativos suficientes para fazer este trekking, pode ter certeza que não há nada melhor que acampar na beira do cânion Pedras Brancas e tomar ali o café da manhã.

Veja como foi a trilha realizada em abril de 2016

Não deixe lixo por onde passar! Recolha tudo e leve de volta consigo.

– Outras travessias no Rio Grande do Sul

1º Dia – De Morro Azul até o Cânion Pedras Brancas

homem canion tajuvas trekking

O ponto mais próximo que o transporte público chega da subida do cânion Tajuvas é a vila de Morro Azul, portanto, se essa for a opção, não desanime. Os seis quilômetros que podem ser percorridos de carro atravessam um vale cuja vista não decepciona e é um bom aquecimento para a subida de quase 900 metros que vem a seguir. De automóvel, o fim da linha é a Igreja de Tajuvas.

A subida é difícil por questões físicas. O primeiro trecho complicado é a estrada de terra que leva à Casa do Padre, por ser íngreme. O outro é a primeira metade da trilha dentro do cânion Tajuvas, por causa dos grandes degraus de pedra. De vantagem, fica a água que verte do cânion em abundância, não sendo necessário carregar muita.

homem abertura canion

Depois de ganhar o topo do cânion Tajuvas e fazer o passo, a trilha fica menos demarcada, então tenha mais atenção a partir de agora, principalmente depois do Galpão do Tajuvas. Mesmo pelo campo aberto, é possível encontrar vestígios da trilha. Em média, o trajeto entre a igreja da Vila Tajuvas até a porteira que faz a intersecção com a estrada do cânion Josafaz e do cânion Pedras Brancas é percorrido em cinco horas

Reforçando: até aqui, a trilha segue o mesmo caminho percorrido em outro relato publicado, em direção ao canion Josafaz. Porém, em vez de ir para direita na estrada, vamos para a esquerda, fazendo o mesmo trajeto da trilha pelas cumeeiras. Mais quarenta minutos, chega-se a cabeceira do cânion Pedras Brancas. Hora de acampar.

2º Dia – Do Cânion Pedras Brancas até a Rota do Sol

canion pedras brancas

A trilha segue pela estrada, atravessando o rio Pedras Brancas. Logo após o cânion, há um banhado na estrada. Faço o aviso porque, nas três vezes que passei por lá, encharquei as botas. Então, não fique buscando um lugar seco, porque não vai encontrar. Obstáculo ultrapassado, botas e meias torcidas, segue-se pela estrada, entrando em uma fazenda (talvez seja possível avistar porcos enormes soltos), entrando em uma mata mais fechada de araucárias até chegar em uma nova bifurcação.

A descida da Serra do Barreiros é o caminho da direita. Ainda não passei pela trilha da esquerda, mas pelo satélite parece levar até próximo ao cânion Pedras Brancas, encurtando o percurso da estrada em quase dois quilômetros. O que não significa que será mais fácil, em razão da condição que da trilha, que desconheço.

trekking rio grande do sul araucarias

Dicas

– A trilha foi feita com base no GPS track postado no Wikiloc pelo Jiro Sumino. Como em alguns pequenos trechos a trilha fica confusa, é indicado o uso de um GPS, nem que for o do celular (funciona perfeitamente na região). Faça o download aqui. Perder alguns minutos estudando o mapa pode ser interessante. A grande diferença da trilha mostrada para este GPS track é o início, pois saímos caminhando desde em Morro Azul, e um trecho após o cânion Pedras Brancas, até o início da serra do Barreiros, sobre o qual falei acima.

– Faça a trilha de bota. Dependendo do clima, muitos trechos com barro viram verdadeiros atoleiros, principalmente dentro da mata mais fechada e na descida pela Serra do Barreiro. Mesmo os campos são úmidos. O Vale do Josafaz é a nascente de diversos rios e o que não faltam são charcos para atravessar pela trilha.

– Quase no fim da subida do cânion Tajuvas, há uma porteira que leva para o topo da perna esquerda do cânion. Havendo tempo e condição física, suba. Após atravessar a porteira, pegue a primeira a trilha à esquerda até sair em campo aberto. Caso seguir reto, vai acabar na Rota do Sol.

– Outro platô incrível de se conhecer está localizado há trinta minutos do galpão Tajuvas. Após passar do galpão, vai ser necessário atravessar uma cerca de arame farpado, pois o chão do portão é uma lama sem fim. Vai entrar em uma pequena trilha que sobe, chegando em um campo, em cima de um morro. Em vez de continuar pela trilha (vai estar bem apagada, mas é só seguir reto, até onde termina a montanha, que você achará), quebre para direita, na direção contrária.

trilha serra do barroso

Como chegar

De carro – o melhor local para começar a trilha é da igreja Tajuvas. Somente com um carro, a melhor opção é usar o transporte público. Com dois carros, deixe o primeira atrás da igreja Tajuvas e o outro no final da trilha, no estacionamento do Posto Limeira.

De ônibus – é possível ir a Três Cachoeiras, desde Porto Alegre, e pegar um taxi na rodoviária (R$ 60) ou então outro ônibus para o Morro Azul (uns R$ 5). São seis por dia que fazem o percurso. Há ainda a linha “Mampituba/Morro Azul”, que sai uma vez por semana, sábado, às 7h, da rodoviária de Porto Alegre, e para no centro da vila. Na volta, a dica é chamar um taxi de Terra de Areia, custo de R$ 80. Indico o Ronaldo Quadros ( 51 9827 6501 ou 51 8219 8601). Entre quatro pessoas, fica R$ 20 para cada.

vista estrada morro azul

Travessia Cânion Pedras Brancas – Serra do Barroso

Dificuldade: Intermediária
Duração: Dois dias
Distância: Cerca de 39 km com início em Morro Azul
Custo: R$ 120 (Passagem Porto Alegre – Morro Azul = R$ 40, Taxi até Terra de Areia R$ 40 (total era R$ 80, mas dividi com um amigo) Passagem Terra de Areia – Porto Alegre = R$ 40).
Trilha: Incerta em pequenos trechos

estrada montanhas

Um comentário em “Cânion Pedras Brancas e Tajuvas: travessia até a Rota do Sol

  • julho 17, 2017 em 8:59 pm
    Permalink

    Olá! Eu e uns amigos iremos fazer a trilha começando em morro azul até o cânion Pedras Brancas e depois vamos voltar pelo mesmo caminho. Pode passar teu contato/email? Tenho várias dúvidas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.