Cordillera Blanca (PER) – Quatro dias na maior cordilheira de nevados em zona tropical

capa-santa-cruz

O trekking pela Cordilheira Branca, ou quebrada Santa Cruz, é, hoje, o mais procurado dentre os diversos circuitos longos realizados dentro do Parque de Huascarán, no norte do Perú. Nos 52 quilômetros de caminhada, podem ser vistos 31 nevados – 17 acima dos 5000 mil metros e 16 acima dos 6000 mil. Dentre elas, a Artesonraju, montanha que inspirou o logo da Paramount Pictures.

A Cordillera Blanca é a maior em extensão em uma região tropical do mundo. Isso se deve, principalmente, a cordillera negra, que protege os nevados dos ventos mais quentes que sopram do Atlântico. Sim, do Oceano Atlântico!

Com pouca experiência em trekkings de altitude, frio e neve, resolvi contratar uma agência. O custo para os quatro dias, com transporte, três cafés da manhã, três almoços, três jantas e lanches, mais barracas, água fervida pela manhã, guia e burros para levar parte do peso que carregava, foi de PER 340. Entretanto, esse preço pode variar: dois brasileiros que estavam no meu grupo contrataram o trekking pelo hostel e pagaram PER 290 cada.

vista-montanhas-manha

Os brasileiros nunca tinham acampado e estavam sem equipamento. Tiveram que alugar botas, capas de chuva, lanternas e outros equipamentos. A dica é: se quer fazer o trekking, vá preparado. No fim, as botas causaram algumas bolhas nos pés deles por não estarem amaciadas, porém conseguiram realizar sem muitos problemas.

Tradicionalmente, a Quebrada Santa Cruz inicia no vilarejo de Vaqueria – seis horas de transporte desde Huaraz – e termina em Santa Cruz. É possível fazer o trajeto de forma autônoma, pegando um transporte de Huaraz até Yungay, e de Yungay até Vaqueria. Outra opção é ir até Yacoral, onde está o posto de entrada para a Laguna 69, e iniciar a trilha por aí.

ovelhas-vaqueria

O soroche

A altitude costuma ser o maior desafio de quem quer fazer um trekking mais longo pelas montanhas do Perú. Quanto mais alto, menos oxigênio no ar. O ponto mais baixo da Quebrada Santa Cruz está a 2900 metros e o mais alto a 4750 metros. Em mais de 50% do trekking, você vai estar a mais de 3800 metros. Contra o soroche, ou mal de altitude, há poucas soluções: um remédio comprado na farmácia, mascar e fazer chá com folhas de coca, beber muita água, alimentação leve. Mas principalmente, ambientação.

Isso significa ir devagar, pelo menos nos três primeiros dias. Huaraz, a maior cidade próxima ao parque e que oferece a melhor estrutura para comprar equipamentos, se hospedar ou contratar uma agência, está a 3100 metros ao nível do mar, o suficiente para que você sinta as respostas do seu corpo à altitude. Há pessoas que não tem muitos problemas, outras tem dificuldade para dormir, passam mal do estômago e sentem muita vertigem.

De minha parte, tive muita dor de cabeça e meu fôlego acabava muito mais rápido que o normal. Nos primeiros dias, ao me abaixar para amarrar as botas e levantar, a visão ficava turva. Porém, praticamente não senti mais nenhum efeito após o terceiro dia em Huaraz. A dica é que, no primeiro e segundo dias na altitude, não se faça muito, apenas caminhadas tranquilas para conhecer a cidade ou tours como o Nevado Pastoruri e Chavin, onde não é necessário caminhar muito. Nos seguintes, tente ir até a Laguna Chorup ou a Laguna 69, que lhe exigirão mais esforço físico e serão bons testes.

cavalo

1º Dia – De Vaqueria, passando Huaripampa

llaganuco
Árvore Quenual – sobrevive somente acima dos 3500 metros

Partindo de Huaraz, o primeiro dia começa com seis horas de estrada. São cerca de duas horas e meia para chegar até Yungay e mais três horas e meia até Vaqueria. Desde Yungay, começa-se a subir pelas encostas das montanhas, sempre por desfiladeiros apontando para os vales, com vistas únicas das lagunas Llaganuco (ao lado). No ponto mais alto, é comum estar nevando.

De Vaqueria, são de quatro a cinco horas de caminhada. Em Vaqueria, ganhamos um lanche – que era para ser nosso almoço – e seguimos até o posto de Huaripampa. Huaripampa é um pequeno vilarejo, onde é possível comprar alguns mantimentos, certamente mais caros que em Huaraz. Logo depois, é preciso se identificar no posto de controle.

Dali, caminhamos mais duas horas até acamparmos em um trecho a 3700. A primeira hora de caminhada foi pelo vale e, segundo o guia, se chove muito, é grande a chance do rio transbordar. Por isso, seguimos cerca de meia hora até um ponto mais alto. O bioma da região favorece o crescimento de plantas como as árvores Quenual, encontradas somente em locais entre os 3500 a 5000 metros.

Trecho percorrido: dez quilômetros.

2º dia: De Huaripampa até Taullipampa

punta-union

O segundo dia é considerado o mais puxado, por ser o dia de fazer o “passo” por Punta Union, a 4750 metros. Isso significa sair dos 3750 metros, onde acampamos, e subir até o ponto mais alto de todo o trekking. Depois, descemos mais 500 metros até Taullimpampa, onde novamente armamos as barracas.

Nesse dia, é possível observar diversos nevados, como o Taulliraju, e ver lagunas como a Tawliquiccha e a Taullipampa. Começamos a caminhar pelas 7h e terminamos às 14h. No fim, foi bem menos puxado do que esperávamos.

Trecho percorrido: dez quilômetros

acamp-terceir-dia

3º dia: De Taullipampa até Llamacoral

Como sempre, acordamos às 5h30, para ajeitar os equipamentos, tomar o café da manhã e começar a caminhada pouco antes das 7h. Acampamos perto do Artesonraju, o famoso nevado da Paramount. Nesse dia, houve a opção de seguir mais cinco quilômetros até a laguna Arhuaycocha.

laguna-harhuaycocha

Passamos por outra bela laguna, a Jatuncocha, onde fizemos nosso almoço, e seguimos vale a dentro por uma região que parecia um deserto, totalmente diferente das paisagens que víamos até ali. Desde a decida de Punta Únion, era perceptível que a nossa frente o caminho era muito mais ensolarado, com o céu sempre azul.

deserto-santa-cruz

Enquanto estávamos, quase sempre, com nuvens em nossas cabeças, nos dois primeiros dias, agora começávamos a andar por um trecho árido que, ao fim da tarde, já se transformava em um vale verde. Caminhamos até às 15h nesse dia.

paramount
Montanha da Paramount é a da direita

Trecho percorrido (com a Laguna): 22 quilômetros

4º dia: De Llamacoral até Santa Cruz

final-santa-cruz

Foram pouco mais de três horas de caminhada até Santa Cruz. Nesse dia, levantamos novamente cedo e depois começamos a descer pela encosta de um rio. Esperamos em um restaurante a chegada dos burros com nossos equipamentos e, após carregar a van, foram cerca de quatro horas de estrada até voltar para Huaraz.

No caminho, uns locais, que aparentemente estavam ajeitando a estrada, cercaram nossa van e pediram um pedágio para que a van pudesse passar. Houve um princípio de estresse, mas depois tudo foi resolvido com o pagamento pelo guia.

Trecho percorrido: dez quilômetros

laguna-n-sei-nome

Dicas

– Toca, luvas, saco de dormir para conforto 0º, botas de trekking e um casaco que proteja da chuva são equipamentos imprescindíveis para fazer a quebrada. Se sua opção for fazer o trekking por uma empresa, barracas e colchonete são fornecidos por eles. Saco de dormir também, porém são mais simples e podem não aguentar o frio que faz à noite.

– A melhor época para fazer o trekking é de abril a setembro, por ser temporada de pouca chuva. Entre outubro e março, além do clima mais úmido, dizem que faz mais frio na montanha.

– Se sua escolha for por um tour desses como fiz, que são mais baratos, espere por grupos de até 15 pessoas. Pior que isso: algumas barracas “vazam” durante a noite. Antes de escolher em qual vai ficar, dê uma boa olhada na capa para ver se não há muitos remendos. Se entrar água, não deixe de acordar o guia, mesmo se for de madrugada.

– O café da manhã e a janta são bem servidos, mas não posso dizer o mesmo do almoço. Leve algumas bolachas para dar uma segurada caso as refeições não forem o bastante para você.

– Sempre negocie o preço, geralmente é possível baixar um pouco. No fim, éramos um grupo de 15, e quase todos contrataram o trekking por empresas diferentes e pagaram valores diferentes. O normal é que se pague um sinal de metade do valor para contratar o trekking e o resto na noite anterior. Sempre peça um recibo.

quebrada-pedras-brancas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.