Arequipa: o que fazer na cidade do Peru cercada por vulcões

praça arequipa vulcão misti

Arequipa, a cidade branca, é aquele lugar que você pode ir preparado para se surpreender. A arquitetura dos prédios da segunda maior cidade do Peru é um encanto por si só. E não foram só as edificações levantadas pelos anos 1700 que seguem preservadas: os moradores locais são muito acolhedores e simpáticos, e andar por Arequipa é como caminhar por uma cidade pequena.

A catedral e praça de Arequipa estão entre as mais impressionantes da América do Sul. Não é para menos que o centro histórico é considerado um Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Quem vai para Arequipa, não pode deixar de comer o queso helado (um sorvete local feito de leite, canela e outras especiarias) e visitar o Canion del Colca. Localizado a três horas da cidade, é considerado o segundo cânion mais profundo do mundo e famoso pelos condores que fizeram dessas montanhas a sua casa.

Em Arequipa, dei uma baita dentro: reservei um ótimo hostel, com café da manhã, a uma quadra da Praça Central! Confere aí nossas dicas do que fazer nessa bela cidade peruana.

o que fazer arequipa peru

Os vulcões de Arequipa

Arequipa é cercada por três vulcões: Pichu-Pichu, Sasami e Misti, este último ativo. A NASA considera, inclusive, Arequipa uma cidade em perigo e monitora-o 24 horas. Se o Misti resolver jogar lava para fora, a maioria dos monumentos devem ser destruídos em poucas horas. Mais um motivo para se visitar a cidade o quanto antes!

O que fazer

Conheça o Cânion del Colca

O Vale del Colca está a cerca de quatro horas de Arequipa e é da cidade onde saem diversos tours para o cânion e as cidades mais próximas, como Cabanaconde e Sangale. As agências de turismo oferecem opções de passeios mais curtos, de um dia, além de circuitos de trekking de, no mínimo, dois dias.

canion del colca

Caminhe pela cidade branca

Arequipa é uma dessas cidades onde você pode se perder pelas ruas sem medo de ser feliz. Seguindo a Praza de Armas em direção da Plaza São Francisco e passando-a, chega-se ao que seria o primeiro bairro de Arequipa, San Lazaro. Com ruas estreitas e casas muradas, mais parece um labirinto. Muitas pessoas dizem que o local foi baseado em cidades espanholas como Toscana.

pessoas ruas

Arequipa é considerada a cidade branca por causa das pedras que possuem, naturalmente, esta cor. Elas foram retiradas de zonas atingidas por erupções do vulcão Sasami. Já as construções com pedras de cor vermelhas seriam de pedras geradas pelas erupções do vulcão Misti.

Outra teoria fala que Arequipa é chamada de cidade branca porque, na sua fundação, era povoada apenas por espanhóis e seus descendentes, no caso, pessoas de pele branca.

Visite a Catedral Basílica de Arequipa

praça arequipa

Em horário de cerimônias religiosas (geralmente pela manhã), é possível entrar na basílica da cidade sem pagar nada. Se não, o ticket custa PER 10, mais uma gorjeta de PER 5 ao guia. Porém, a visita não se atém apenas ao templo religioso. Além da igreja – uma das únicas da América do Sul a ter uma estátua do demônio em seu interior –, o passeio percorre outros ambientes. Entre eles, os quartos de arcebispos que foram transformados em museu e o terraço da basílica, onde lhe permitem caminhar por dentre as torres e sinos do templo religioso.

O Monastério de Santa Catalina, cuja entrada custa PER 40 (o que o deixou fora do meu orçamento), também vale a visita, caso você se interesse por arquitetura e templos religiosos. Quem entra, diz que o lugar é espetacular, uma cidade dentro de outra cidade. O monastério segue sendo utilizado pelas freiras como residência.

De consolo, acabei pagando PER 5 e entrei no claustro de São Francisco, que fica do lado da igreja de mesmo nome e custa também PER 5 para entrar. O claustro ainda é utilizado pelos religiosos e nem sempre está aberto.

jardim poço

Visite as praças

Um costume sul-americano que o Brasil deixa a desejar é a utilização de espaços públicos, como as praças. A Plaza de Armas de Arequipa é considerada a mais bonita do País. Outra praça que vale a pena citar é a de San Francisco. Dizem que namorar alguém sentado em um dos seus bancos transforma o amor do casal – se ele for verdadeiro – em amor eterno.

praça verde construção

Conheça os miradores de Yanahuara e Sachaca

O mirador de Yanahuara está a apenas vinte minutos de caminhada da Plaza de Armas e é bem comum encontrar alguma feira culinária acontecendo no local. Aconselho a visitá-lo mais para o por-do-sol, quando o “astro rei” pinta os vulcões de vermelho e deixa a atmosfera da cidade ainda mais bonita.

mirador yanahuara arequipa peru

O mirador de Sachaca, por sua vez, fica no distrito de mesmo nome. Para chegar lá, o ideal é pegar um taxi, ao custo de PER 15 desde a Plaza de Armas. É preciso pagar ainda PER 1 para subir. O distrito de Sachaca também tem seu charme. Ele fica dentro do cinturão verde de Arequipa.

arequipa peru como chegar

Prove uma Arequipenha e queso helado

Somente em Arequipa você poderá provar a cerveja local, a Arequipenha. Ela é mais leve que a Cusquenha, como pede o clima da cidade. Já o queso helado pode ser encontrado em cada esquina. É um sorvete feito de leite, cravo, canela, gelo e algumas outras especiarias que são mexidos numa panela, manualmente, até ficarem cremosos. Mas compre das senhoras que os vendem em bacias, não vá em uma confeitaria que não é a mesma coisa!

Prove o suco de rã

pessoas tendas lojas

Bom, vou admitir que esse eu não tomei, mas foi só porque rã “estava em falta”. É um preparado com várias frutas, sementes e temperos, além da pele da rã fervida. Dizem ter vários benefícios pra saúde. O copo não é barato: custa PER 20. Se você for na temporada de chuva ou logo após ela, é grandes as chances de encontrar o suco de rã. É vendido no Mercado São Camilo, o mercado público da cidade.

Suba os vulcões Misti e Pichu-Pichu

vulcao pichu pichu

O ascenso aos cumes dos vulcões Misti e Pichu-Pichu estavam além do meu orçamento. O Pichu-Pichu sai por COP 220 e o Misti por COP 280. Acabei não fazendo os trekkings, mas fica a dica.

Onde se hospedar

Fiquei no hostel Mango (clique aqui e confira as ofertas no Booking.com) e foi uma das maiores dentro que dei. Custou PER 21 a diária em quarto compartilhado com quatro camas, com um café-da-manhã daqueles que se pode matar comendo. Mas um dos maiores benefícios desse hostel é estar localizado a apenas uma quadra da Plaza de Armas, no coração da cidade, onde tudo acontece.

O hostel é bem limpinho, a o cozinha é grande e espaçosa e tem diversas zonas comuns, como um terraço e uma sala de televisão. Alguns quartos tem sacada para rua! A única coisa que poderia reclamar era do barulho que a porta fazia, toda vez que alguém ia sair ou entrar no quarto.

El Misti, Arequipa - Peru.jpg
By .kyFlickr, CC BY-SA 2.0, Link

 

Melhor época para viajar para Arequipa

Em 9 dos 12 meses do ano, praticamente não chove em Arequipa. Nas duas semanas de novembro que passei na cidade, não caiu uma gota de chuva! A estação úmida é entre janeiro e março, época com mais precipitações, mas que costumam ser fracas e isoladas, insuficientes para estragar uma viagem. Quem visita Arequipa no verão ainda costuma ganha um prêmio extra: o cume dos vulcões fica cheio de neve, deixando a paisagem ainda mais bonita!

Onde comer

Não há muito o que fazer: Arequipa é uma cidade um pouco mais cara para comer. Restaurantes por menos de PER 10 são difíceis de achar e, quando se acha, a comida é um tanto duvidosa. Na Plaza de Armas, quase na esquina da rua Mercaderes, há um restaurante que oferece menus a PER 10. Outro fica na rua Santo Domingo. Ainda há boas opções na rua Puente Bolognesi . No final dela, há pollerias que oferecem ¼ de frango com batatas fritas, sopa de entrada e buffet de salada por PER 11. No mercado público, o almoço custa em média PER 7.

Como chegar em Arequipa

De avião: Arequipa possui aeroporto localizado a 4km do centro da cidade, para onde um taxi vai custar entre PER 20 e PER 30.

De ônibus:ônibus para Arequipa saindo desde Lima, passando por Paracas, Ica e Nazca. Também a linhas vindo de Cusco e Puno. Quem vem de La Paz ou Copacabana e cidades do norte do Chile também podem tomar um bus direto a Arequipa.

A rodoviária de Arequipa fica um pouco afastada da cidade e um taxi vai lhe custar cerca de PER 15. Ao embarcar, tome cuidado que existem duas estações de transporte: uma para viagens dentro do departamento (o que chamamos de Estado) e outra para destinos internacionais.

praça flores igreja

Custos

Hostel com café da manhã: a partir de PER 21
Almoço: a partir de PER 7
Garrafa de água 2 litros e meio: PER 3,50
Cerveja Arequipenha no mercado (com casco): PER 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.