Huaraz (PER): A porta de entrada para o Parque Huascarán

huaraz
Praça central de Huaraz

Localizada a cerca de oito horas de ônibus de Lima, Huaraz é uma cidade com as cicatrizes de um terremoto que, em 1970, matou mais de 70% de sua população e colocou praticamente todo o vilarejo abaixo. A cidade foi reerguida, primeiramente, graças ao interesse de empresários nas minas da região. Há dez anos, vem se tornando capital do trekking no Perú em razão do Parque Nacional Huascarán.

Huaraz é uma cidade de 100 mil pessoas com toda uma estrutura de hosteis, agências de turismo e lojas que alugam equipamentos, voltadas aos turistas que buscam uma aventura única nesse pequeno trecho da Cordilheira dos Andes.

Muito mais barata que Cusco e Lima

Uma das grandes vantagens de Huaraz é ser uma cidade muito mais econômica que as tradicionais Cusco ou Lima. Se come muito bem por PER 8 (R$ 8), sendo possível encontrar pratos a partir dos PER 4,50. Um saco com dez pequenos pães custa PER 1 no Mercado Público. Já o trekking de quatro dias e três noites, com guia, transporte, refeições e equipamento, custa PER 290. Fiquei em um hostel muito bom, chamado Akilpo, ao custo de PER 20 a diária. No mercado público ainda se encontram frutas a preços muito baratos e um saco com folhas de coca custa PER 1.

Se você for a cidade e pretende contratar empresas para fazer tour, vá com calma e não se atire na primeira oferta que aparecer. Os preços praticados costumam ser muito diferentes para passeios iguais. Além disso, a passeios que podem ser feitos sem empresa e sem guia, como as trilhas para a Laguna Churup, Laguna Ahuack e Laguna Wikacocha.

Parque Huascarán

vista-montanhas-manha
Amanhecer na Cordillera Blanca

O entrada do Parque Huscarán é paga. O dia custa PER 10, porém é possível comprar um ticket válido por 22 dias, ao custo de PER 65. Toda vez que você fizer algum circuito ou trekking, terá que apresentar o passaporte e o ingresso, que geralmente é carimbado no posto de controle.

São mais de 500 lagos permanentes formado pelo degelo dos nevados e dos glaciais e milhares formados pela chuva. O parque ainda possui 25 circuitos de trekking que levam mais de um dia para serem percorridos e quase uma centena de trilhas que podem ser feitas em um dia, sem contar os mais de 50 nevados localizados acima dos cinco mil metros, que formam a Cordillera Blanca.

glacial-pastoruri
Glacial Pastoruri, a 5100 metros de altitude

É também dentro do parque que se encontra a montanha Huascarán, a mais alta do Perú, com 6768 metros, localizado a 15 quilômetros da cidade de Yungay. A Cordilheira Blanca, por sua vez, é o maior conjunto de nevados em extensão localizado em uma região tropical. Além da altitude, esse número só é possível pois as montanhas estão protegidas dos ventos mais quentes pela Cordilheira Negra.

O parque ainda conta com 102 destinos de escalada e mais de 30 sítios arqueológicos, desde templos antigos até vestígios de arte rupestre. O parque também é um dos únicos locais do mundo onde cresce a Puya Raymondi.

Os passeios

laguna-69
Laguna 69

Em suma, existem três tipos de passeios pelo parque Huascarán: os que você pode fazer por si mesmo, os trekkings por agência de viagens e os passeios por agências de viagem. Em verdade, você não necessita de guia para entrar no parque, mesmo que seja recomendado um para trilhas de mais de um dia.

Porém, trilhas como para a Laguna 69 se encontram muito longe de Huaraz e, caso você vá de transporte público, vai pagar praticamente a mesma coisa que contratando o passeio com uma agência. Outros, como a Laguna Churup, Laguna Ahuak e Laguna Wilcacocha, são próximos da cidade, os tours não saem todo o dia e não há porque não ir com uma van local. Se para Laguna Churup, o transporte custa entre PER 5 e PER 10, para os outros dois pontos saem por menos de PER 2.

A outra modalidade são os passeios por agências de viagem, como o nevado Pastoruri e a Lagoa Chavin. São tours em que o guia vai apresentar aspectos históricos da região e você vai caminhar muito pouco, sendo excelentes para quem quer fazer a ambientação na altitude. A média de preço é PER 35.

Saiba mais sobre os passeios

– Laguna 69
– Trekking pela Cordillera Blanca
– Laguna Churup e Nevado Pastoruri

Onde ficar

acamp-terceir-dia

Indico para todos os hostel Akilpo, tanto por limpeza, quanto por localização ou qualquer outro aspecto. Todos que contrataram tours junto ao hostel pagaram menos que nas empresas de turismo e, caso você queira fazer algo por si mesmo, os donos dão todas as dicas com a maior paciência.

Além disso, a água do chuveiro é quente, há cozinha equipada e o sinal de wii fii foi o melhor que peguei em um hostel até aqui. Ah, e é um hostel muito barato: o quarto compartido estava a PER 20! Às vezes, o hostel chega a ser até profissional demais!

vista-passo
Vista da Punta Union, ponto mais alto do trekking da Cordillera Blanca, a 4750 metros

Onde comer barato em Huaraz

Como já dissemos, se você não quer gastar muito, Huaraz é uma ótima escolha. Em comparação a outras cidades peruanas, é uma cidade onde se come muito barato. Há restaurantes econômicos em praticamente todas as ruas e zonas. Gostava muito de um restaurante/cevicheria na Jose Antonio del Sucre, entre a jiron San Martin e a jiron Leonisa Lascano. Menú a partir de PER 7 com ceviche de entrada!

Se afastando da Plaza de Armas, tanto pela Mariscal Carceres quanto pela jiron Juan de Mata Arnao, se consegue restaurantes com menus por todos os preços, desde PER 4,50. Quanto mais longe da Plaza de Armas, mais barato.

Dicas

– Se você chegou no dia anteior a Huaraz e estava em Lima ou outra cidade litrânea, ao nível do mar, não é nada recomendável fazer a caminhada. O soroche (mal de altitude) não é brincadeira, muita gente passa mal. Seja prudente, busque se ambientar no primeiro dia na cidade, caminhe devagar. No segundo, pense em algo mais leve, como a caminhada ao nevado Pastoruri (mesmo estando a mais de cinco mil metros, caminha-se apenas meia hora). Abuse do chá de coca e tenha um saquinho sempre consigo para mascar algumas folhas (cusca 1 sol no mercado público). O gosto não é bom, mas ajuda muito.

– A melhor época – a que menos chove – é entre os meses de abril e setembro. Tente evitar os feriados peruanos, quando os preços inflacionam. Entre outubro e março, além de mais chuva, a temperatura nas montanhas costuma ser mais baixa.

– Prepare-se para temperaturas altas durante o dia e frio durante a noite;

– O melhor lugar para comprar comida é no Mercado Público, ou no seu entorno. Há várias pessoas vendendo queijo (PER 18 o quilo) e pão (10 por PER 1) na rua. Um café da manhã dentro do mercado, no segundo andar, com sanduíche de queijo e café, custa PER 3,50.

– Sempre que fizer a compra de qualquer passeio e pagar, pegue um recibo.

 

quebrada-inicio
Cordillera Negra

 

Um comentário

  1. Legal! (Vi que meu comentário saiu com erro de digitação com esse “hoje”) quando eu chegar em Huaraz me informei sobre isso. Huayhuash é o trekking que quero fazer, mas acho que emendaria a cordilheira branca na sequência! Obrigado! Vou seguir teu blog aqui. Um abs

    • Buenas, só não esquece de dar uns 3 ou 4 dias pro teu corpo se adaptar à altitude. Eu sofri un pouco nos tres primeiros dias e hayuash deve ser bem duro. A cordillera blanca tu faz o passo no segundo dia, a 4750 metros, pode nao completar se nao tiver adaptado ao soroche

  2. Muito boas dicas. Estou querendo ir à Hoje este ano fazer um trekking na cordilheira huayhuash. Vc sabe os preços desse tour? Ele é mais longo que o da cordilheira branca, dura mais de 10 dias. Obrigado e parabéns pelo blog.

    • Cheguei a pesquisar que também tinha interesse nesse trekking, mas lembro que era bem mais caro, como quatro vezes mais, e só saía uma ou duas vezes por semana, quando fechava um grupo de pelo menos seis pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.