El Chalten (ARG): na trilha do Fitz Roy e a Laguna de los Três

El Chalten é um pequeno povoado com 1500 habitantes, localizado dentro do Parque Nacional de los Glaciares (o mesmo de El Calafate), considerado hoje a capital do trekking na Patagônia. A principal atração da cidade é o pico Fitz Roy, símbolo da região sul da Argentina.

Toda a economia de Chalten é voltada ao turismo, por isso espere pagar caro em restaurantes e até mesmo nos mercados. São, pelo menos, seis circuitos curtos de trekking e pelo menos dois longos no entorno da cidade, que atraem cada vez mais turistas. Se o ciclo de crescimento de visitantes continuar, é bem possível que algumas restrições sejam aplicadas para se visitar o parque em breve.

O que fazer

A maioria dos trekkings são feitos dentro do Parque de los Glaciares, cuja entrada é franca na região de El Chalten. Os campings localizados dentro do parque também são gratuitos e não é necessário fazer reserva, basta chegar. Entretanto, possuem pouca estrutura, sem chuveiro e com banheiros ecológicos (um buraco no chão).

Mesmo no verão, é preciso ter um equipamento que aguente temperatura inferiores a 0º, de preferência um saco de dormir com conforto 0º. Roupas e uma bota impermeável também são equipamentos quase indispensáveis, pois o tempo é muito instável na região da patagônia.

As distâncias são calculadas com base em ida e volta da cidade. Todas as trilhas estão bem sinalizadas e são auto-guiadas, não sendo necessária a contratação de um guia.

Laguna Capri, Laguna de los Três e cerro Fitz Roy (26 km)

fitz-roy

A mais famosa trilha de El Chalten leva até os pés do monte Fitz Roy, onde fica a Laguna de los Três. Ela passa ainda pela Laguna Capri, com um camping gratuito que pode ser uma boa opção para passar a noite na alta temporada, época em que o camping gratuito Rio Branco, uns 6km mais a frente, mais próximo do cerro, fica lotado.

Pode ser considerado um trekking difícil se a ideia for subir e descer no mesmo dia, pois há um aclive e declive acentuados, principalmente após passar o último camping.

Laguna e glaciar Torre (24km)

glacial-torre

Trekking de nível médio e de longo percurso, porém com menos aclive e declive se comparada à subida ao cerro Fitz Roy. Quase na laguna, há um camping gratuito. É possível caminhar pela encosta da laguna para chegar mais perto e ter uma vista privilegiada do Cerro Torre.

Circuito de três dias pelos cerros Fitz Roy e Torre via Laguna Madre y Hija (36km)

laguna-madre

Quando fui para El Chalten, decidi fazer o trekking para os montes em forma de circuito. Com isso, dormi uma noite no camping do cerro Fitz Roy e outra no do cerro Torre, economizando também duas noites de estadia, já que os locais de acampar são grátis.

Saia cedo de Chalten que você chegará cedo no camping Rio Branco e poderá visitar o Fitz Roy no mesmo dia. Na manhã seguinte, é possível fazer uma conexão entre as trilhas pelas lagunas Madre y Hija. Priorize fazer nessa direção, pois o terreno vai descendo.

Laguna Toro ou Tunel, Paso del Viento e Vuelta del Huemul (36 km apenas a Laguna Toro)

laguna-tunel

Eu não cheguei a fazer a Vuelra del Huemul, um trekking de quatro dias por uma montanha de mesmo nome, pois necessitaria de alguns equipamentos para uma tirolesa e conhecimentos técnicos que não tinha. Entretanto, fiz parte do caminho, acampando na Laguna Toro. A caminhada foi puxada, prinicipalmente pela distância e o aclive na volta, mas foi uma experiência muito válida entrar tão profundamente nos campos de hielo del sur e ver com os próprios olhos o deserto criado pelo frio.

Há um ponto, logo após passar o desvio para o mirador del Plegue Tumbado, que a navegação fica um pouco complicada, ou pelo menos ficou, por causa da estação. Como era outono, as folhas das árvores caíram e taparam a trilha. Entretanto, basta lembrar que a laguna Viedma deve ficar sempre a esquerda e logo atravessa-se o bosque, ganhando um vale onde a trilha volta a ficar clara.

huemul-chalten

Para acampar na Laguna Toro, é necessário se registrar no centro de informes do parque. O pernoite é gratuito no camping.

Mirador del Plegue Tumbado (22 km)

loma-del-pliegue-tumbado

Esse foi um dia de muito azar, já que começou a nevar em Chalten e quando chegamos no mirador, não se podia ver nada. Mas é uma trilha com bastante aclive e dizem que em dias abertos, permite a melhor vista da cidade. Por causa da neve, ficou bem complicado caminhar nos locais mais abertos. Como o solo tem muitas pedras, ficou escorregadio. A subida é dura, comece a caminhar cedo.

Mirador de los Condores y de las Aquilas (3 km)

Os miradores ficam próximos ao centro de informes do parque. Tente ir pela manhã, pois o sol se põe atrás do monte Fitz Roy pela tarde e atrapalha na hora de fazer aquela foto fantástica.

Chorillo del Salto (6 km)

chorillo-del-salto

Outra caminhada leve, com início no mesmo ponto onde começa a trilha a Laguna de los Três. São menos de 30 minutos de caminhada por uma trilha que acompanha a estrada e leva até a cascata.

Piedra del Fraile e Lago Elétrico

São percursos fora do parque, em uma região privada. A trilha só fica aberta em alta temporada – quando fui, em abril, estava fechada, então não posso falar muito.

Lago del Desierto e Lago O’Higgins

O lugar é destino principalmente de quem viaja de bicicleta, pois o Lago del Desierto fica próximo a um passo para o Chile, para a Villa O’Higgins, que é feito passando de barco por um lago de mesmo nome. Entretanto, informe-se sobre as travessias se for na baixa temporada, pois o número de transbordos diminui muito.

Onde ficar

20170414_085304

O Hostel mais barato se chama 4 Estaciones e custa ARG 120 (R$ 24). Está localizado próximo ao início da trilha para a Laguna de los Três e é simples, porém limpinho. Na minha estadia em Chalten acabei ficando em outro hostel barato, esse por ARG 150 (R$ 30), na rua principal, perto da rodoviária, e o 4 Estaciones era muito melhor. Depois, há uma infinidade de hosteis a partir de ARG 300 (R$ 60).

Como chegar

laguna-capri
Vista do Fitz Roy da Laguna Capri

A forma mais fácil de chegar em Chalten é tomando um ônibus em El Calafate, que faz, pelo menos, três viagens por dia entre as cidades e custa ARG 450 (R$ 90). Porém, é bem fácil conseguir carona de Calafate até Chalten. A dificuldade acaba sendo as outras pessoas que também estarão tentando sair de carona da cidade. Porém, a maioria dos mochileiros fica na ponte na entrada do centro da cidade, quando o melhor lugar é o antigo posto da polícia, onde há o letreiro de Calafate.

Ainda há ônibus diários desde Los Antiguos (Chile), passando por Perito Moreno (ARG 1120) e, pelo menos duas vezes por semana, de Bariloche e passando por Bolson e Esquel. Se você vier de Puerto Natales ou Punta Arenas, terá primeiro que ir a Calafate, para depois tomar um coletivo a Chalten.

Quando ir

A melhor época para visitar El Chalten é entre outubro e março. Lembre-se que a maioria das atrações são trilhas, ao ar livre. Nos demais meses, chove e faz muito frio, não sendo as condições ideias.

trekking-laguna-toro

Dicas

Leve toda a comida que você puder para Chalten. Há diversos mercados, porém todos pequenos e praticando preços elevados;

– Se a ideia é economizar, pense em passar uma ou duas noites acampado nos campings do parque, que são grátis. Com os altos preços praticados pelos restaurantes, cozinhar em Chalten não foi opção, e sim uma necessidade;

– Se for acampar no parque, tenha um saco de dormir com pelo menos conforto 0º;

– Toda a água da região é potável;

– A cidade possui apenas um caixa eletrônico. É bom fazer o saque antes de ir pra Chalten (como em Calafate), pois não é raro que o terminal de autoatendimento esteja sem dinheiro.

– O Centro de Informes Turísticos de Chalten fica dentro da rodoviária, mas não foi de muita ajuda. Já o serviço de informações do parque é ótimo e fica próximo da rodoviária, atravessando a ponte;

– Viajar de carona é muito viável e uma experiência que vale muito a pena!

el-chalten

5 comentários

  1. Olá, curti muito seu blog e o relato sobre essa viagem a El Chaltén. Eu e minha esposa iremos pra lá agora em Janeiro de 2018 e por desencargo, tu acha que vale investir em uma roupa pra frio, não digo frio extremo, mas uns fleeces, jaquetas impermeáveis, segunda pele ou coisa do tipo.
    Abração.

    • Opa, valeu!

      Então, vale investir sim. Roupa impermeável, de preferência um casaco que também seja corta vento, é item obrigatório. Botas também.

      Não tem esquece que Chalten ta super perto dos campos de Hielo del Sur. É tanto glacial e neve perto que, quando o sol bate, logo formam-se nuvens e o ciclo de chuvas é muito rápido (o mesmo vale para Torres del Paine). Então vai preparado pra ela e pra muita instabilidade. E pro vento também.

      E mesmo sendo verão, vocês podem pegar uns dias frios, mas um blusão mais quente, quem o casaco, vai dar conta. Não precisa nem ser de fleece, mas se tiver essa opção, melhor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.