5 passeios de bike imperdíveis na América do Sul

bicicleta mar

Essa é pra quem gosta de ter total liberdade para explorar novos territórios e sentir o vento bater no rosto. Pela América do Sul, há alguns passeios imperdíveis de se fazer, que lhe garantem conhecer parques e cidades de uma forma muito mais intensa. Confere aí nossa lista!



1. Cartagena (Colômbia) – Pelas praias e a cidade amurrallada

andar bicicleta cartagena

Três horas de bicicleta por Cartagena custam cerca de R$ 15 e são suficientes para percorrer as praias próximas de Boquilla ou Bocagrande e se perder pelas estreitas ruas da cidade Amurallada. Mesmo sendo uma cidade completamente caótica no que diz respeito ao trânsito e não haver ciclovia, os motoristas respeitam muito o ciclista, muito disso se vale pela importância que o esporte tem no país.

2. Deserto do Atacama (Chile) – A garganta del diablo e as lagunas

bicicleta deserto atacamaNão é porque o Deserto do Atacama custa caro que não se possa economizar. Uma das dicas é fazer alguns passeios de bicicleta, como a Garganta del Diablo. Não se paga entrada e fica perto do pueblo de San Pedro.

Em média, custa R$ 20 três horas de pedalada. O tráfego no deserto é pequeno e há diversas placas lembrando os motoristas para ter cuidado com ciclistas. Só não esqueça de sempre cadear a bike, pois o roubo de bicicletas é alto em San Pedro. No nosso artigo sobre passeios de bicicleta para fazer no deserto do Atacama você tem mais informações sobre esse passeios e outros mais exigentes, como ir até a Laguna Cejar (25km) e a Laguna Tebinquiche (50km). 

3. Paracas (Peru) – Liberdade total no deserto de Paracas

playa roja
Playa Roja, em Paracas

“Mais um deserto”, você pode pensar. Mas espere encontrar um cenário bem diferente do Atacama, rodeado por vulcões e montanhas. O deserto de Paracas fica na costa do Oceano Pacífico, e um dos grandes atrativos dessa pedalada são as belas praias (entre elas uma de areia vermelha), as dunas e a liberdade, pois você vai encontrar muito menos gente que no Atacama.

Tome um pouco de cuidado na hora de sair para a cidade e se dirigir até a entrada da Reserva, pois passam muitos carros e caminhões em alta velocidade. Tirando isso, é uma pedalada tranquila. Leia nosso artigo sobre Paracas, no Peru, para saber

4. Villa de Leyva (Colômbia) – A trilha até Ráchira

Essa pedalada é a mais exigente das elencadas aqui, pois a um aclive muito acentuado. Subir uma montanha significa, porém, belas vistas panorâmicos e um downhill excitante, cortando o Deserto de la Candelária. Em média, o percurso demora cinco horas. Na volta, venha pela estrada nova de asfalto, mais plana e rápida, que levará no máximo duas horas. Tudo que você precisa saber sobre o rolê de Villa de Leyva até Raquira você encontra aqui!

bicicleta estrada montanhas

5. Pisco Elqui (Chile) – Onde nasceu o pisco

Infelizmente não tenho fotos do Vale de Elqui pois meu celular caiu na piscina e estragou quando estava lá. Mas foi um dos lugares mais incríveis que visitei na viagem. Pisco Elqui fica a duas horas de La Serena (uma cidade oito horas ao norte de Santiago) e é uma região voltada a produção de Pisco com uma dezena de pequenos povoados. O grande barato é pedalar até Horcón, uma cidade de artesãos que fica a 13km de Pisco Elqui. No caminho, é possível parar na pisqueria Los Nichos, a mais antiga em atividade que produz o Pisco de forma artesanal, e fazer um tour para conhecer como se produz a bebida.

E aí, faltou alguma trip nessa lista? Então comenta aí pra nós e nos ajude a aumentá-la!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.