Taxas que bancos brasileiros cobram para sacar no exterior

homem caixa eletronico

Quando vamos fazer alguma viagem para fora do Brasil, a forma como vamos ter acesso ao dinheiro estrangeiro sempre gera dúvidas. Mesmo que o saque por cartão não seja a maneira mais indicada, é uma alternativa que pode ser usada em alguma emergência. Também é uma boa opção para aquelas pessoas que vão passar mais de um mês fora do país e não querem (nem devem) andar por aí com muito dinheiro vivo.

O pagamento diretamente com o cartão é uma opção, desde que você estiver viajando por países desenvolvidos, como Austrália, Europa ou América do Norte. Nos demais países, você pode ter dificuldade em achar estabelecimentos que encontrem essa forma de pagamento.

Esse cuidado se aplica até mesmo para grande capitais, como a Cidade do México. Na Bolívia, mesmo em destinos turísticos como a Isla del Sol, há poucos estabelecimentos que aceitam cartão. Cabe observar que a maioria das lojas, restaurantes e rede hoteleira de capitais brasileiras, argentinas e chilenas estão preparadas para aceitar este tipo de pagamentos.

Cobranças

pote dinheiro

A primeira taxa que você vai pagar é para o seu banco no Brasil (veja abaixo as tarifas das principais instituições financeiras do País). O único que não cobra é o Santander, caso fizer um saque em um caixa eletrônico do banco. Porém, se for um terminal de outra empresa, a taxa cobrada é a mais alta de todas: R$ 24,20 por operação!

Depois, deixa 6,38% do valor para o governo, como Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Por último, adicione a taxa do banco do país de origem. Esse montante será fornecido pelo próprio terminal de autoatendimento no momento em que fizer o saque. Em alguns países, como Bolívia e Colômbia, muitos bancos não cobram essa taxa.

Taxas (por cada operação – crédito ou débito*):

Itau – R$ 10,10
BB – R$ 20
Bradesco – R$ 20
Santander – R$ 24,20 (se você for correntista do banco e fizer o saque em um terminal do Santander, não paga nada)
Caixa – Oferece o serviço em pacotes especiais. Necessário perguntar na agência.

Casos especiais

Sicredi – R$ 10, porém permite o saque apenas no crédito
Banco do Brasil – No Travel Card, a cobrança é de US$ 2,50

Qual o melhor banco para sacar no exterior?

mao cartao

O Santander acaba sendo uma boa opção, pois não cobra saque e possui agências nas principais cidades do mundo. Porém, se você não for para a capital do país ou passará muito tempo em cidades pequenas, é bem possível que não encontre nenhum caixa e acabe pagando mais por isso.

Aí, a melhor opção é o Itaú, que tem a menor taxa efetiva.

Observações sobre o uso do cartão

– Diferente do que dizem, se roubarem, você perder ou quebrar seu cartão durante a viagem fora do Brasil, dificilmente você conseguirá ter acesso a um segundo cartão. Passei por uma experiência e, ao ligar para a central de atendimento e relatar o meu problema, tanto a atendente do Banco do Brasil quanto do Itaú me deixaram na linha, duas vezes, até a ligação cair. Tenha cuidado;

– Antes de fazer a operação, verifique se o caixa eletrônico aceita a bandeira do seu cartão;

– Nunca esqueça de desbloquear o cartão para uso internacional antes de viajar. Informe-se se não é necessário desbloquear, também, junto à bandeira do cartão de crédito. Alguns bancos já permitem que se faça o processo na hora, por aplicativo. Mesmo assim, não deixe para fazer o procedimento quando já estiver viajando. Se houver qualquer problema, pode ser difícil de resolver;

– A senha que você precisa digitar é a mesma do seu cartão, porém somente os primeiros quatro números. Se falhar duas vezes, espere 24 horas antes de tentar ter acesso, ou ele será bloqueado.

Você também pode se interessar por

– Seguro o confortável: saiba com é viajar de ônibus pelo Peru;
– Tudo que você precisa saber para fazer aquela viagem a Machu Picchu;
As praias e atrações de Cartagena, no caribe colombiano.

caixa eletronico

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.