Taxas que bancos brasileiros cobram para sacar com cartão fora do Brasil

homem caixa eletronico

Quando vamos viajar para fora do Brasil, a forma como vamos ter acesso ao dinheiro estrangeiro sempre gera dúvidas. Uma alternativa pouco utilizada pelos brasileiros e oferecida pela maioria dos bancos é o saque, em espécie, no caixa eletrônico (geralmente com opções de retirar em dolar e na moeda do país que você está visitando).

Por causa das altas taxas, não é a forma mais indicada para acessar o dinheiro, porém torna-se uma boa alternativa em momentos pontuais, como quando chegamos no país por via aérea e queremos evitar o péssimo câmbio das casas em aeroportos.

O pagamento diretamente com o cartao é uma boa opção, desde que você estiver viajando por países mais desenvolvidos, como Austrália, na Europa ou América do Norte. Nos demais, pode haver dificuldade em achar estabelecimentos que aceitem pagamento com dinheiro de plástico.



Esse cuidado se aplica até mesmo para grande capitais, como a Cidade do México. Na Bolívia, mesmo em destinos turísticos como a Isla del Sol, há poucos estabelecimentos que aceitam cartão. Cabe observar que a maioria das lojas, restaurantes e rede hoteleira de capitais brasileiras, argentinas e chilenas estão preparadas para receber este tipo de pagamento.

Cobranças

pote dinheiro

Ao sacar no cartão, a primeira taxa que você vai pagar é para o seu banco no Brasil (veja abaixo as tarifas das principais instituições financeiras do País – esse valor é fixo, independente do montante da operação). O único que não cobra é o Santander, caso fizer a operação em um caixa eletrônico do banco e você tiver um perfil de conta Select.

Depois, você precisa adicionar a taxa do banco do país de origem. Antes de realizar a operação, o próprio terminal irá avisá-lo dessa tarifa (em moeda local ou dólares). Em alguns países, como Peru e Chile, as cifras variam de acordo com o banco. No Chile, o Banco Estado cobra CHL 3500 (R$ 12). Já o Banco Chile, aplica CHL 6000 (R$ 20) por operação, uma diferença de quase 100%. Outros países, como a Bolívia e Colômbia, não cobram nenhuma taxa por saque!

A tarifa para o banco local não vem discriminada em separado nos recibos, e sim somada ao valor total do saque.

Por fim, deixa 6,38% do valor total como Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) por ser uma operação no exterior. Se você sacar R$ 1000, por exemplo, vai deixar R$ 63,80 do valor como IOF (esse imposto também incide nas compras no exterior com cartão de crédito ou débito).

Diferenças no câmbio no cartão de crédito e débito

Seja realizando um saque ou uma compra, é muito importante que você compreenda as diferenças nas cobranças de câmbio para os dois tipos de cartão. No débito, a operação leva em conta o câmbio realizado pelo seu banco/bandeira do cartão no dia da operação. Se comprar algo dia 21, virá com a taxa de câmbio do dia 21, e assim você sabe quanto vai pagar.

No caso do cartão, será expedida uma única cobrança mensal, com todos os seus gastos. O câmbio será aquele em vigor no dia em que sua fatura será gerada, de forma que não se sabe qual a taxa que vamos pagar.

Tarifas cobradas pelos bancos (por operação – 2018)

  • Itau – R$ 10,10 (no crédito, de acordo com a bandeira e a modalidade do cartão);
  • Banco do Brasil (BB) – R$ 22 (mesmo preços do crédito). No Travel Card, EUR 2,50 para saques em euro e US$ 2,50 para saques em dólar ou outra moeda estrangeira;
  • Santander – R$ 24,20 (mesmo preço do crédito). Gratuito nos terminais do banco espalhados pelo mundo para quem tem o perfil Select;
  • Bradesco – R$ 20 (mesmo preço do crédito);
  • Caixa – Oferece o serviço em pacotes especiais. Necessário perguntar na agência;
  • Sicredi – R$ 10, porém permite o saque apenas no crédito.

Como pagar 1,1% de IOF

Quando você envia dinheiro pela Western Union ou TransferWise, está fazendo uma transferência para o exterior. Com isso, paga 1,1% de IOF e sobra 5,28% a mais para você! Essas duas empresas também cobram taxas, porém não são tão altas assim se compararmos com as dos bancos brasileiros.

O câmbio real praticado também costuma ser melhor que o dos bancos que atendem no Brasil. Se você quiser saber mais sobre essas formas alternativas de levar dinheiro pro exterior, clique aqui.

Câmbio real cobrado por banco

Além de tarifas diferenciadas por banco e por tipo de cartão, para contabilizar de forma correta o quanto se pagaria por saque seria necessário analisar o Valor Efetivo Total (VET) cobrado por cada banco no momento da operação. Isso porque as instituições financeiras cobram uma comissão em cima de cada operação de câmbio que fazem quando você usa o cartão.

Atualmente, o Banco Central disponibiliza um ranking que facilita muito a análise dessas diferenças. No ranking, é possível ver a evolução dos câmbios praticados por cada instituição mês a mês, de acordo com a moeda que você quer comprar.

 



Então, qual o melhor banco para sacar no exterior?

O Santander acaba sendo a melhor opção, pois você fica livre de duas tarifas: a do banco brasileiros e do país de origem. O problema é que sua operação vai ficar limitada aos terminais da instituição e é necessário ter uma conta com o perfil select.

Agora, se você for viajar para um país e passar muito tempo em cidades pequenas, sem cobertura do banco, a melhor opção acaba sendo o Itaú, que tem a menor taxa efetiva entre todas as instituições.

Como fazer um saque no exterior

mao cartao

Primeiro, você precisa desbloquear o cartão para uso internacional antes de viajar. Informe-se se não é necessário desbloquear, também, junto à operadora do cartão de crédito. A maioria dos bancos brasileiros permitem que se faça o processo na hora, por aplicativo. Mesmo assim, não deixe para fazer o procedimento quando já estiver viajando. Se houver qualquer problema, pode ser difícil de resolver.

Fora do Brasil, é preciso encontrar um caixa eletrônico identificado com a bandeira do seu cartão. A maioria dos terminais aceita Visa e Mastercard (se lhe empurraram um Cielo, prepare-se porque ainda são poucos países onde é aceito).

Ao inserir o cartão, você precisa digitar sua senha de quatro dígitos. Se falhar duas vezes, espere 24 horas antes de tentar ter acesso, ou ele será bloqueado. Escolha o idioma no qual você quer proceder a operação. Se você tiver um cartão múltiplo, deverá escolher entre as opções de crédito e débito. Caso você queira fazer o saque no débito, não clique em “giro rápido” de maneira alguma.

Após inserir o valor, o caixa vai lhe informar que você está sujeito a pagar taxas ao seu banco de origem e informa qual a tarifa que será cobrada, pelo banco local, pela operação. Você terá que confirmar a operação após o aviso.

Vai viajar para fora do país? Então veja nossa análise comparativa das vantagens e desvantagens de 8 diferentes formas de levar dinheiro em uma viagem para fora do Brasil!

caixa eletronico

Henrique Lammel

Jornalista e produtor de conteúdo

12 comentários em “Taxas que bancos brasileiros cobram para sacar com cartão fora do Brasil

  • agosto 22, 2018 em 1:34 pm
    Permalink

    Bom assunto abordado e com muita clareza. Quero deixar aqui meu contentamento de uma boa leitura e dizer que vou recomenda também o site e suas boas matérias.

    Resposta
  • agosto 7, 2018 em 1:00 pm
    Permalink

    Boa tarde,

    Alguém sabe informar se saques internacionais com cartão de débito do Santander ainda utilizam cotação do dólar próximo ao comercial?

    Resposta
  • agosto 7, 2018 em 5:59 am
    Permalink

    Parabéns pelo post e muito obrigado pelas informações, Henrique.
    Foram muito úteis!

    Resposta
  • julho 12, 2018 em 11:09 am
    Permalink

    Olá, muito legal suas informações e bem recentes 🙂
    Sabe dizer se precisa ser conta corrente para conseguir fazer os saques ou pode ser cartão poupança?

    Resposta
    • julho 12, 2018 em 11:48 am
      Permalink

      No caso do BB, te digo com certeza que pode ser cartão poupança, pois sacava com o meu! Acredito que nos demais bancos também funcione assim também

      Resposta
  • maio 30, 2018 em 5:51 pm
    Permalink

    Olá. Esta informação do saque na própria agência do Santander é segura? Quero dizer, vale para cliente de qualquer perfil do banco? É que sou cliente Van Gogh e ao questionar o banco, me disseram que eu pagaria a tarifa mesmo que fizesse o saque em uma agência deles…

    Resposta
    • junho 1, 2018 em 11:33 am
      Permalink

      E aí Daniel, tudo bem?

      Então, fui checar isso agora. A última vez que havia atualizado a matéria tinha sido no fim do ano passado e o Santander promoveu mudanças na questão de saque no exterior esse ano. O saque internacional nos caixas do banco sem tarifa ficou restrito ao perfil select :/ De toda forma, estou apurando as demais taxas pra ver se tiveram alguma modificação e atualizando a matéria…

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.